Meu perfil
BRASIL, Sudeste, VOTUPORANGA, VILA MARIN, Homem, de 36 a 45 anos, Zulu, Azerbaijani, Tabacaria, Animais, fazer a cobra fumar
MSN -




Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Facebook do Lamparina
 Blog do Lamparina (antigo)
 Twitter do Prefeito Marão Filho
 Twitter do Lamparina
 Dcionário Priberam da Língua Portuguesa
 F. Pepito Verbos
 T.C.E
 T.R.E-SP
 T.S.E
 Câmara Municipal de Votuporanga
 Prefeitura Municipal de Votuporanga
 SAEV
 UNIFEV
 Portal Transparência Brasil
 Blog do Azenha Vi o Mundo
 Carta Capital
 Jornal A Cidade
 Jornal Diário de Votuporanga
 Conversa Afiada do PHA
 Blog do Eduardo Guimarães
 Blog Escrevinhador do Rodrigo Vianna
 Blog do Professor Hariprado
 Blog do Josias de Souza
 Blog do Luciano Viana
 Observatório da Imprensa
 Óleo do Diabo (Gonzum)
 Blog do Paulo Cosmo
 Blog do Ricardo Fujiro
 Portal Vermelho org.
 Jornal do Poeta Gibim
 Blog do Miro
 FBI
 Blog da Dilma
 Terra Goyazes
 Criador de Saci
 Amigos do Presidente Lula
 Blog da Irmã Cleycianne
 Blog do Celito Garcia
 Blog do Manuel Ruiz
 Receita Federal (consulta de CNPJ)
 Blog do Virgulino
 Refluxo News
 Pedagiômetro
 Votulandia
 Blog do Cardosinho
 Blog do Juliano Matos
 DOMíNIO PÚBLICO
 trezentos
 Blog do vereador Osvaldo Carvalho
 Blog do Fofoqueiro
 Uma vida sobre duas rodas
 Blog do vereador Meidão
 jornal O Jornal
 Votunews
 Diário Web
 Receita - Consulta CGC




BLOG DO ROBERTO LAMPARINA
 


MURO DOS 10 MANDATÁRIOS

 

          Quem assistiu a incursão televisiva do PMDB dia 26 – tão anunciada exaustivamente nos dias anteriores -, e conhece a história política e os posicionamentos da legenda, não colheu nenhum assombro ou se enriqueceu de nada do conteúdo apresentado.

          Foi só a materialização do velho jeito PMDB de ser, um suntuoso muro pra chamar de seu e poder estar posicionado estrategicamente de qualquer um dos lados a qualquer momento que seja oportuno.

          Destaque para o brilhante formato publicitário, que por muitos dias anteriores anunciou com maestria o folhetim político da sigla como se uma decretação importante e imprescindível para o nosso futuro, como no dia em que DEUS, o     Todo Poderoso, entregou o Decálogo mandamentoso a Moisés.

          O todo poderoso Michel Temer puxou a dianteira publicitária falando de uma agenda positiva que precisa apurar irregularidades sem paralisar a vida produtiva do país. (ponto para o todo poderoso, que talvez tenha sido o mais claro recado dado ao povo e sua classe política, agora bem fracionada entre os que amam ser governados pelo PT e os que odeiam essa condição, porque a disputa política atual foi elevada a esta condição de amor e ódio. Poucas pessoas tem tido a sensatez de nomear acertos e erros, direcionando tudo para o campo do amor e do ódio. Eu vejo acertos e vejo erros, entre os principais erros, à aceitação pacífica da presidenta Dilma em ser sovada diuturnamente sem reação pela grande mídia durante os 4 primeiros anos e agora intensificado pelo resultado das urnas. Se eu pudesse chegar com um conselho a presidenta, diria pra ela sair das cordas convocando a famigerada Reforma Tributária, aquela que na frente das câmeras todo mundo diz que quer, mas no nuvioso claustro do livro secundário das finanças paralelas, conhecido popularmente como caixa 2, parte do empresariado se satisfaz plenamente com os milionários lucros obtidos pela sonegação fiscal e jamais ambicionará uma tributação justa, já que hoje nós consumidores pagamos tudo e parte considerada de empresários sonegadores embolsam parte significativa da estrondosa carga tributária, que é realmente enorme... Mas, se todos pagassem. Segundo o respeitado Valor Econômico, o Brasil é o segundo maior sonegador do planeta, só perdendo para à Rússia: http://www.valor.com.br/brasil/3333552/no-mundo-brasil-so-perde-para-russia-em-sonegacao-fiscal-diz-estudo )

          Depois o todo poderoso peemedebista foi seguido pelos pronunciamentos de mais 9 companheiros de legenda, 6 Ministros e Secretários de Estado mais o presidente do Senado, da Câmara e o líder do Senado, todos peemedebistas de felpas lustrosas e do nosso conhecimento de longa data.

          Para quem normalmente não se atenta aos detalhes subliminares dos atos, os 10 caciques se apresentaram para que cada um deles decretasse o seu mandamento. (você acredita que o número tenha sido uma simples coincidência???)

          Em suma, o recado veio até explícito para o bom entendedor – “Hoje estamos brincando desse lado do muro e até estamos nos divertindo, mas se a brincadeira ficar chata - somos nós que mandamos nela -,  vamos brincar do outro lado com os outros amiguinhos do passado”.

           Ficou evidenciado que o PT está sozinho em governo e com um aliado igual ditadura Sul-Americana dos anos 70, que pra se mandar um ofício para o governante, era preciso saber qual o general golpista estava no poder naquele dia.

           Eu não sei de qual parte do prenúncio peemedebista vocês mais gostaram, mas a mocinha apresentadora tinha um charme inquestionável (uma Fernanda Lima com cachê diminuído numas 20 vezes) e me fez perder a atenção em alguns momentos.

           Será que até isso foi premeditado???

https://www.youtube.com/watch?v=iFBGThIELDQ 



Escrito por LAMPARINA às 15h36
[] [envie esta mensagem
] []





GRITO MUDO

  

          Explicar os motivos que tem levado ao constante estado de greve a maior classe trabalhadora desse país não é fácil e nem tampouco rápido, porém tentarei fazê-lo de forma sucinta e inteligível até para leigos ou os que não tenham percepções para além do seu campo de experiências.

          Eu conheci o mercado do transporte quando ele era uma atividade rentável e economicamente possível, portanto, tenho às referências para apontar os problemas no setor.

           O mercado deixou de ser rentável e possível a partir da concessão criminosa da malha viária nos estados de SP (muito mais porque colocou pedágio até em carreador de cana), PR e RS, portanto, o setor está em crise desde então, com o estopim deflagrado na grande greve de 1999. De lá em diante nada foi feito para resolver o problema e também não será feito agora. Somente paliativos para destravar estradas e voltar ao trabalho.

          O setor é gigante, é ágil e sempre funcionou melhor na forma caótica como sempre foi. São diversos segmentos de pouca ou nenhuma representatividade sindical ou, que minimamente possa reger seus interesses. Com raras exceções, pois o sindicato dos cegonheiros e o dos caçambeiros de Santos/Cubatão e de Paranaguá são fortíssimos e levam seus interesses até às últimas consequências para que possam continuar sobrevivendo dignamente. O resto não se entende, não fala a mesma língua e sequer sabem das prioridades alheias. O resultado é isso, quando a situação chega ao ponto limite, fazem uma greve sem planejamento e nem sabem eleger prioridades conjuntas nas reinvindicações.

          Voltando lá nas privatizações criminosas das estradas de meados dos 90, foi ali que o caos foi instituído, pois os governos estaduais aumentaram vertiginosamente o custo do transporte e, entregou o repasse ao mercado e à lei da oferta e de procura. Acontece que o setor de transporte é estratégico e não pode sobreviver sobre essa bandeira, já que existem períodos em que a frota nacional é insuficiente numericamente (3 meses do auge da safra de grãos) e depois é ociosa, sendo a demanda da necessidade menor do que a oferta. Não dá para o setor sobreviver só por 3 meses e depois encolher. Ele tem que ter o mesmo tamanho nos 12 meses do ano, já que o custo operacional é nesta medida. A solução seria a criação de uma tabela de custo mínimo para o preço do km/rodado, assim como tem o transporte aéreo e o rodoviário de passageiros, que operam sob regras mínimas estabelecidas. Sabem quanto vão receber, quanto vão gastar e o que sobrará para investimentos e manutenção do negócio. O transporte rodoviário de carga não se sabe de nada, pois o preço da tonelada que era R$ 350,00 no auge da safra, cai para 200 no mês seguinte e como a oferta é maior do que a procura, permanece lá até a próxima safra.

          Para o transporte em si, não importa a que tipo de infraestrutura estaremos submetidos, mas sim quanto receberemos por essa infraestrutura deficiente.

          Eu conheci o mercado quando tínhamos poucas estradas asfaltadas nos estados do Norte e Centro-Oeste e tinha rentabilidade, pois a procura era maior do que a oferta. Hoje temos até estradas em boas condições, mas o mercado regido pela lei da oferta e da procura só te permite respirar por 3 meses, passando os outros 9 sufocado.

          Portanto, não é o custo dos pedágios e nem o preço do combustível que emperra o transporte, mas sim, que no mercado não existe uma válvula que permita que esses aumentos nos custos sejam repassados de imediato.

          Diminuir a frota naturalmente pela lei da oferta e da procura não é possível, haja vista os períodos de pico de safra. A busca da solução é única - criar um preço mínimo para que a frota possa rodar sem prejuízos o ano todo e atender a demanda como sempre atendeu com competência e agilidade, pois o transporte rodoviário é o único que realmente cumpre com este papel. Quem acompanha minhas postagens sobre o assunto já leu a respeito de todos os enganos e inverdades da matéria.  

          Devido a esta disparidade entre a lei da oferta e da procura, o crédito com juros subsidiado para a renovação de frota que foi possível a partir do governo Lula pelo BNDES passou a ser utilizado apenas por grandes transportadores, que por serem grandes - pelo quesito da quantidade movimentada -, suportam essa entressafra negativa no caixa. O sujeito que tem 2 ou 3 caminhões pagando prestação não consegue pagá-las e manter os veículos em condições. Já a empresa que tem 1000, 300 pagos e o resto em diversos estágios de quitação, segue levando aos trancos e barrancos, cortando custos aqui e ali e vai tentando sobreviver no mercado.

          Aí é que está outro fator estratégico que deveria ser prioridade no mercado do transporte, pois caminhões mal conservados e com manutenção encurtada são bombas prestes a explodir e um risco pra todos nas estradas ou em qualquer lugar que estejam.

          O pedágio pode ir a R$ 100,00 por eixo, pagar todos até os estepes; o óleo diesel pode ir a R$ 10,00 o litro; desde que esses custos sejam repassados imediatamente ao preço do transporte, tudo continuaria equilibrado, já que é o consumidor final quem paga tudo. Mas, do jeito que está com o setor absorvendo todos esses aumentos sem ter como repassá-los, chegamos ao derradeiro fim de um setor que, por ser gigante e devidamente desorganizado pelos que dele tiram proveito exatamente por assim ser, vez por outra estaciona espontaneamente pela simples impossibilidade de seguir adiante.

           Eu participei da grande greve de 1999 (aprendi a lição) e desde então me recuso a tomar parte de qualquer tipo de movimento do setor, pois conheço e sei das dificuldades de se mobilizar e organizar um setor monstruoso que ninguém quer que ele se organize.

          Greve se faz em casa (eu estou em greve na minha casa faz uma semana) e ninguém da Força Nacional de Segurança bateu na minha porta para me forçar a voltar ao trabalho.

           Os que reclamam pelo fato do governo se valer da Lei e do Direito Constitucional para desobstruir estradas são os mesmos que desorganizam o setor, pois sabem que estão cometendo crime ao impedirem os demais cidadãos do sagrado direito de ir e vir. Pior ainda os que vandalizam, tocam fogo e apedrejam os que não aderem ao movimento, cometendo crimes contra os próprios colegas, vítimas do mesmo mal que os assola mutuamente.

          Portanto, esse negócio de ficar querendo que abaixe preço de diesel e pedágio é uma total ignorância de quem, por não ter conhecimento do setor, fica tentando tumultuá-lo. Ainda mais agora, que tudo quanto é imbecilidade acaba virando motivo de desestabilizar o governo legitimamente eleito pela maioria.

          Greve se faz em casa, mas pra isso a categoria teria que ser unida para que possa se valer da sua força e do seu poder de barganha. Greve com criminoso tocando fogo e barbarizando com os próprios colegas, é desordem e não livre manifestação do direito de buscar melhorias para a categoria, que está nos seus momentos terminais e não é culpa de nenhum órgão de governo em nenhuma esfera, pois quem sente dor grita e a classe não se une para gritar!!!

         

           

         

        

       



Escrito por LAMPARINA às 01h52
[] [envie esta mensagem
] []





VAZAMENTO MORO

 

 

          O Blog do Lamparina, com exclusividade, teve acesso ao vazamento da justificativa (bem ao jeito Moro de permitir espalhar ao vento) enviada ontem pela secretária de Educação Silvia Rodolfo ao senhores vereadores sobre a versão oficial dos acontecimentos propagados no final de semana passado em rede social, onde pais de alunos denunciavam que seus filhos estavam passando mais de 3 horas sem receber alimentação em escola da rede municipal.

          Segue então a transcrição da missiva.

 

ESCLARECIMENTO – HORÁRIO DA MERENDA ESCOLAR NAS CRECHES

 

A Secretaria da Educação esclarece que todas as crianças atendidas nos Centros Municipais de Educação Infantil (CEMEI) continuam recebendo as 5 (cinco) refeições diárias, como nos anos anteriores (nos horários das 7h30, 9h30, 11h30, 14h e 16h30). Portanto, nenhum aluno fica mais de 2h30 sem alimentação, sendo o cardápio elaborado por nutricionistas de acordo com os valores nutricionais que cada faixa etária necessita.

 

Em nenhum momento, foi retirada qualquer refeição da escola. Para o prefeito Junior Marão, educação é prioridade, desde o ensino infantil até o fundamental, por isso, a Prefeitura garante alimentação balanceada a todas as crianças e, acima de tudo, um ensino de qualidade. A educação de Votuporanga está entre as 10 melhores do Estado, entre as cidades com mais de 50 mil habitantes, de acordo com o Ministério da Educação.

 

Em virtude da reclamação de algumas mães em relação a alteração do horário do lanche da tarde, a Secretaria da Educação esclarece que o fato ocorreu no CEMEI “Dr. Abílio Calile”, contra a orientação da prefeitura. A diretora da escola, por conta própria e sem consultar a Secretaria, optou por servir o lanche da tarde às 15h30 – e não às 16h30, conforme orientado. A diretora já foi advertida e o horário, nesta semana, já voltou a ser cumprido como nos anos anteriores.

 

 

A Secretaria de Educação agradece a compreensão dos pais e reafirma o seu compromisso com a qualidade da educação municipal.



Escrito por LAMPARINA às 09h58
[] [envie esta mensagem
] []





BIPOLARIDADE LEGISLATIVA

 

          Tudo começou com o nobre edil Meidão, que mostrou fotos da sua viagem a Limeira para inauguração de uma unidade do Bom Prato (uma boa política tucana, que peca por não se transformar de fato em ação profusa de governo, já que são só 48 unidades instaladas - sendo 22 na capital e 26 agora com esta inauguração em Limeira -, no litoral e interior, servindo 80 mil refeições/dia. Isso num universo de 44 milhões de paulistas, representa atendimento de 0,18% da população, ou seja, muito pouco para ser considerado como ação de Estado de impacto significativo), além de também pleitear uma unidade local junto ao governador e ao secretário adotado pelos políticos da cidade, o tal Floriano Pesaro. Entre muitas fotos mostradas no telão, que demonstraram o prestígio do nobre edil junto ao governador, o Meidão nos revelou que, infelizmente, ele e outros não conseguiram comer (no bandéco) no novo restaurante, já que estava muito lotado, tendo ido comer num restaurante frequentado por caminhoneiros (palavra do nobre edil) pagando R$ 17,00 no almoço (aí prefeito e demais gastadores compulsivos das nossas diárias em viagens, o nobre edil nos provou que dá pra comer com 17 conto. Que tal tentarem a experiência na próxima viagem???). (gostaria de aproveitar e fazer uma indicação ao nobre edil, para que, não abusando da sua influência junto ao governador, que ele empreenda o Bom Prato para os caminhoneiros, que não aguentam pagar 2 refeições por dia e mais os pedágios criminosos desse governo tucano em SP)

          Depois foi a vez do nobre André da TURA, que trouxe em mãos uma folha de papel dizendo se tratar da explicação da secretária da Educação Silvia Rodolfo sobre o episódio do corte do lanche em uma unidade da rede pública municipal (CEMEI Dr. Abílio Calile), que correu comentado pelas redes sociais nesse final de semana. Nem chegou a lê-lo, pois a missiva veio sem assinatura e sem papel timbrado da secretaria, tendo sido o nobre André apartado pelo Meidão e aconselhado a desconsiderar o bilhete, já que desqualificado de qualquer teor representativo, a secretária, como não tem palavra, poderá alegar não ter sido enviado por ela – disse o Meidão. O nobre André seguiu firme desferindo críticas, mas desta vez na OS, segundo ele, uma contradição ao nome, já que de organização ela não tem nada, citando falta de médicos e o malabarismo sendo feito por funcionários da saúde para agendar e reagendar atendimentos médicos nas demandas em postinhos citados por ele. Reforçou a crítica desferida na sessão passada sobre acontecimento ocorrido na Santa Casa, que levou ao estado de coma uma paciente operada pelo cirurgião Dr. Edson Rapozero. (quanto ao imbróglio da secretária, fica cada vez mais claro o despreparo da Silvia Rodolfo para lidar com as responsabilidades da pasta. Resta saber até aonde o prefeito conseguirá suportar a pressão para segurá-la, já que ele próprio passa por momento péssimo e não tem ninguém que segure a pressão total que está sobre ele, com a cidade totalmente caótica e em estado de abandono, obras paralisadas e com muito atraso no cronograma, déficit financeiro na gestão, além do peso de ações na Justiça que podem lhe abreviar o mandato a qualquer momento)

          Na vez do nobre Osvaldo ele começou falando e mostrando fotos das entregas de alimentos doados pelo PAA (Programa de Aquisição de Alimentos), que segundo o nobre edil, já garantiu novos contratos de mais de milhão para nossos pequenos produtores cooperados e parceiros do programa. O nobre edil também desferiu severas críticas ao secretário dos esportes Mineiro (perdi o início desta fala dele), além de nos informar que um dos seus pedidos na promotoria foi acatado e a estrada do 27 será alvo de inquérito no MP para apurar responsabilidades sobre o estado de abandono total que se encontra.

          O nobre Douglas nada de muito importante nos trouxe, além de uma receita internética caseira sobre iluminação barata através da adaptação de garrafa pet no telhado residencial. (cuidado nobre edil, seu colega tucano Zé do Lazão – mesmo eu tendo lhe avisado por diversas vezes -, sucumbiu ao óbito político por usar o mandato sucessivamente, para em tribuna, nos dar cansativos discursos e receitas googleanas. Além do mais, seria mais proveitoso Vossa Excelência recomendar o ar condicionado de pobre https://www.youtube.com/watch?v=1ANzs5CZUnI , que economiza muito mais energia e tem conceitos mais profundos de engenharia popular e meio ambiente)

          Depois veio o nobre Eliézer, que de mais importante, anota-se a crítica feita à qualidade do asfalto na Euclides da Cunha, especificamente entre Fernandópolis e Jales. Seguiu na crítica dizendo que se preciso for, convocará movimento regional para pressionar o governo estadual no sentido de que as empreiteiras assumam a garantia da obra (5 anos) sem que haja prejuízo público. Falou também da má qualidade do asfalto na Av. Conde F. Matarazzo e, (pasmem) fez piada com a questão cômica das alças de acesso da P. Belini, dizendo que o governador nos trata feito malas... Malas sem alças. (que seja duradouro o retorno do nobre edil ao parlamento, já que a imposição de presidente da Casa praticamente lhe conduziu a 2 anos de blindagem do Executivo e de seus interesses. Saiba também que este blogueiro lhe tem muita estima, mesmo que possamos ter alguns pontos de discordância hora ou outra. Sendo assim, melhor me cumprimentar quando for inevitável, já que se continuar olhando para o espaço vazio para fugir do cumprimento, poderá cair ou trombar em alguma coisa e terá que contar com minha mão amiga para colocá-lo de pé novamente)

           Ficarei devendo o pronunciamento do nobre Jura.

          Na vez do nobre Silvão ele tentou jogar água benta na relação delicada atual de alguns pares com a secretária Silvia Rodolfo. Seguiu falando do seu empenho em resolver alguns problemas de obras e estruturas dessas. (cometeu leve indiscrição sentida por todos ao dizer estar ali na qualidade de defensor da administração como seu líder de governo. Em breve momento dislexo, arremeteu vôo novamente dizendo-se também representante do povo que o elegeu para representá-lo. Ficou evidente entre os presentes a dificuldade do nobre edil em saber de fato quem ele ali representa, um clássico caso de bipolaridade legislativa)

          O nobre edil Pedro Beneduzzi fechou a noite em tribuna requerendo cuidados da administração com algumas obras transformadas em criadouros da dengue, além de recomendar cuidados da população quanto à eliminação de focos, já que o nobre edil acaba de se recuperar do seu segundo contágio da doença, conforme nos relatou ainda meio descaído em virtude dos males da picadura do mosquitão dengoso.

          Quem esteve presente também nesta noite na Casa do Povo foi o nobre edil voluntário Xororó Albacete. Sem o direito regimental de usar a tribuna, este blogueiro - defensor dos direitos das minorias -, pediu gentilmente a concessão de uma entrevista ao nobre edil voluntário que caiu nas graças da população depois de iniciar um trabalho cidadão pelas redes sociais, intitulado “SOS Xororó”, onde ele percorre os bairros fotografando e filmando o caos e o apagão geral dos serviços públicos que estamos passando atualmente na cidade; tendo ele aceitado me conceder algumas breves palavras.

           Revelou-me o nobre edil voluntário, que se eleito fosse, uma das suas promessas de campanha seria militar na causa de oferecer aquele leite com açúcar queimado - que tem disponível só na coxia legislativa -, também para os visitantes que adentram pela entrada do populacho, onde atualmente só tem mesmo o cafezinho preto (muito gostoso sempre). (achei a sugestão bastante oportuna, pois ficamos ali por horas e o meu senso de localização me impede de dar uma de bicão indo até lá tomar o leitinho doce. Fico então só no cafezinho preto mesmo, o que tem ressuscitado minha velha gastrite crônica, pois depois de horas de sessão embebida a café preto, ainda tenho que chegar em casa e esquentar o que sobrou do miojo do jantar.

           Parabéns pelo vislumbre, nobre edil voluntário Xororó. Além de bastante oportuno, seria uma ação digamos igualitária e antirracista, já que lá na coxia legislativa tem leitinho docinho (branco) e nós da patuleia só estamos ficando com o cafezinho (negão).

           Aí presidente mudi..., digo, Serginho, vai nessa que você decola!!!

 

 

           



Escrito por LAMPARINA às 02h48
[] [envie esta mensagem
] []





SEISCENTÃO

 

               Impressionante como nossos milhões em dinheiro público derretem feito gelo no fogo com assessorias. É assessoria de todo tipo e tamanho, desde pequenas quantias disso e daquilo, até vultosas, milionárias e inexplicáveis ao ponto da total falta de transparência do Transparência.

          É assessoria jurídica, contábil, treinamento disso e daquilo, oficina disso e daquilo, assessoria e treinamento em acompanhamento social disso e daquilo. Até aí tudo bem, pois apesar dos valores milionários pagos por estas, certamente algumas são exigências burocráticas dos trâmites de liberação dos recursos nas esferas governamentais. É o peso de uma máquina absurda de gestão, onde pagamos para que influentes e abençoados das graças políticas em todas as esferas ganhem nosso suado dinheiro apenas se valendo das espertezas legais e dos atalhos no domínio do conhecimento da gestão pública.

           Eu sei que muitos desses projetos que nos direcionam o dinheiro da esfera federal são na verdade desenvolvidos por essas assessorias e que, no ato da liberação dos recursos, já mordem a parte do desenvolvimento do projeto na forma de assessorias. Mas, você que não tem vivência no meio não deve saber disso e sequer sabe que milhões em recursos derretem por essas vias. Agora que sabem, por favor, guardem segredo, ou continuem fingindo que não sabem.

           Analisando por alto as contas do Transparência, acabei me intrigando com uma contratação dessas milionárias, me obrigando por curiosidade a buscar mais informações sobre o assunto. Descobri então que a PMV contratou (tudo legalzinho na forma de praxe, licitação na modalidade convite e etc...) uma empresa sediada em Jales por mais de 600 mil com o seguinte texto: “Contratação de empresa para realização das ações de combate à Dengue no município”. Curioso com tamanho vulto do negócio, me aprofundei na pesquisa e descobri ser uma empresa de dedetização, cujo contrato social junto à JUCESP também anota: “COMÉRCIO VAREJISTA DE MEDICAMENTOS VETERINÁRIOS COMÉRCIO VAREJISTA DE ANIMAIS VIVOS E DE ARTIGOS E ALIMENTOS PARA ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO IMUNIZAÇÃO E CONTROLE DE PRAGAS URBANAS ATIVIDADES DE LIMPEZA NÃO ESPECIFICADAS ANTERIORMENTE”. O capital-social de R$ 20.000,00 integralizado entre 3 sócios, não deixa dúvida de que a tal empresa é do tipo caseira, do tipo 3 pulverizadores costais, uma mãozinha política infiltrada e um sonho.

          Intrigante fato me deixa curioso em saber o que diabos faz a paquidérmica estrutura de governo com seus órgãos já devidamente equipados e com quadros preparados para este serviço, sendo a nível estadual a SUCEN e a nível municipal o SECEZ.

 

          Se alguém tiver alguma luz sobre o fato, por favor, esteja à vontade para os esclarecimentos, pois me confesso completamente perdido nos caminhos e intenções dessa contratação milionária para executar um serviço da qual o Estado mantém um estafe permanente para o exercício da função!!!



Escrito por LAMPARINA às 13h49
[] [envie esta mensagem
] []





SEM TRANSPARÊNCIA

 

          Caro prefeito de demais servidores e controladores do Portal Transparência do município de Votuporanga.

          Gostaria de dizer que existem ainda alguns poucos cidadãos interessados no cotidiano da nossa administração pública e temos como ferramenta cidadã única a consulta ao site Transparência.

          A definição da palavra transparência deveria se embasar nela mesmo, no ato de transparecer de não obstruir a visibilidade, porém nos deparamos corriqueiramente com essas aberrações à transparência nas nossas prestações de contas públicas. Empenhos que não têm nenhuma pretensão em serem transparentes, enquanto outros cumprem com sua função naturalmente.

           Gostaria de uma explicação lógica para os critérios, já que todos deveriam conter transparência absoluta dos atos administrativos.

           Estendendo minha solicitação cidadã, gostaria que a transparência nos tópicos das licitações públicas também fosse total e estivessem todas sempre disponíveis com: função, participantes, objeto, preço vencedor e demais itens que de fato nos dê a transparência do ato sem precisarmos efetivamente estar por aí cuidando do que é nosso, tumultuando o já tão abarrotado espaço físico do Paço.

          Não é por nada, né prefeito??? Mas, como o senhor bem sabe, pessoa da minha relação próxima já esteve a cargo do setor de licitações da vossa administração e então sei como se dá o processo, precisando estar sob vigilância constante.

 

          Sem mais para o momento, espero pelo atendimento da súplica cidadã, desde já agradeço!!!



Escrito por LAMPARINA às 00h13
[] [envie esta mensagem
] []





CATANDO NAS CINZAS

 

          Noite meio que ainda sob os efeitos da ressaca provocada pela maratona carnavalesca do Oba, com a ausência do nobre edil Matheus Rodero, que certamente deve ter tirado o dia de folga para se refazer dos festejos (ou, cuidar do caixa da “firma”, para que não aconteça como o do PSDB sob os cuidados do Paulo Preto).

           O nobre edil Meidão foi o primeiro a se lançar em tribuna, tendo nos apresentado, de mais importante, apenas alguns loas direcionados ao secretário dos esportes Mineiro, que segundo o Meidão deixou explícito com suas palavras elogiosas, é o cara de todos os esportes. Seguiu depois com elogiosos comentários se estendendo ao trabalho da secretária Marli Pignatari (esse sim o verdadeiro artifício da noite) e Valdir Petenucci. Ao final, deu a entender que tem secretário que tenta derrubar o senhor prefeito, mas deixou o nome nas entrelinhas. (como falar bem é fácil e difícil é nomear os bois, acho que o nobre Meidão não ajudou nada o senhor prefeito e nem nos ajudou a localizar quem são os inimigos do povo na administração, apesar de que nós temos uma vaga ideia de quem sejam)

           Depois foi a vez do nobre Osmair Ferrari, que entre uma informação importante, a de que amanhã haverá uma reunião lá com os empresários do Trevão para resolver aquele velho problema do asfaltamento naquele pedaço esquecido da cidade, adentrou um assunto que a mim me pareceu chacota, pois ao requerer da SAEV obras no sentido de desassorear a represa da SAEV, o nobre edil, sempre muito sério, se embasou no aumento da tarifa de água apelando para que o dirigente da autarquia, agora com maior fluxo de caixa, execute a obra. (Quer nos matar de rir, nobre edil???)

           O nobre Osvaldo Carvalho seguiu marretando nos buracos da estrada do 27 e nas alças da Péricles. Aproveitou para falar também das doações do programa do governo federal que compra produtos da agricultura familiar e distribui entre as entidades assistenciais do município, já que a AAA estava em peso na noite para receber honraria do nobre colega Jura.

          O nobre Edilson do Santa Cruz, nos contou das suas experiências em cidades outras e reforçou a possibilidade da abertura de creches no período noturno para atender necessidades específicas, uma questão que foi colocada pelo Meidão numa rede social e que reclamou ter sofrido severas críticas de uma popular (eu corto a cutícula do meu dedo mindinho, mas não falo que a crítica veio da LS), mesmo sendo reivindicação de outros populares. Depois o Edilson também se destinou a render loas à secretária Marli Pignatari (cheirou campanha eleitoral a vista por ordem da chefia)

          Na vez do nobre André da TURA o clima morno até então, esquentou. Desde a semana passada - com seu apontamento feito a partir de informações vindas de funcionários da Educação, confirmados pelo nobre edil in loco, tendo sido um funcionário em cargo de confiança demitido por suspeitas de ser o dito informante -, que o nobre André está visivelmente irritado com a secretária da pasta. Hoje ele elevou o tom da irritação e, chamou a secretária de mentirosa, afirmando que a mesma toca o terror nos funcionários da pasta, proferindo o termo chulo “vai te catá secretária” em referência às mentiras supostamente alegadas pela secretária em sua defesa própria do ocorrido. Já com sangue nos olhos, o nobre edil da TURA seguiu descascando os abacaxis da noite e mirando seu mandato fiscalizador para uma crítica muito dura com referência à contratação de uma empresa para alugar o som de que se utilizam os eventos públicos na concha acústica e no Centro de Convenções, pela módica quantia de R$ 22 mil por mês. (vereador, não conta pra ninguém que te contei, mas dizem por aí que esta mesma empresa guarda os aparelhos num local lá no Centro de Convenções e não paga nada de aluguel. Só venha a nós, ao vosso reino nada!!! Além de ser o vencedor daquela intrigante licitação da carreta-palco, lembra??? Aquela que foi feita uma licitação pública com a metragem específica onde só ela atenderia???  Tomei a liberdade de consultar os pagamentos no Transparência e foi empenhado R$ 397.769,00 em 2014 em seu favor, que não foi totalmente pago ainda, muito possivelmente devido aquele probleminha de caixa de final de ano)

          Depois veio o nobre edil Jura, que meio em ritmo sarcástico das cinzas, observou que agora que a orgia carnavalesca havia passado, que a administração se empenhasse com a mesma dedicação que se empenhou (em servir de bengala para o Oba – palavras minhas) no carnaval privado, ao tapa-buracos tão necessário na cidade.

          O nobre edil Douglas fez uma radiografia da orgia obesca, tendo anotado alguns defeitos passíveis de acertos para às próximas edições. (com todo esse cuidado público em uma festa privada, não há nada de bom que não fique melhor ainda. Esta foi à síntese da fala do nobre edil. Ahhh se tivessem todo esse cuidado com o que é público... Certamente não teríamos pagado tantos micos... Como o de Jales, né nobres???)

          O nobre Silvão fechou o ciclo, com o de mais importante, também rendendo loas ao Mineiro e à Marli Pignatari. (aí fedeu de vez campanha eleitoral em tribuna, descaradamente)

          Foi o que de melhor se viu na noite. Depois dela, analisando falas e táticas dos oradores, ficou claro que já foi dada a largada para a campanha eleitoral e que certamente teremos uma mulher como forte concorrente.

 

          Se segura prefeito, pois o adversário novamente se lançou na dianteira!!!



Escrito por LAMPARINA às 02h49
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 15h25
[] [envie esta mensagem
] []





APRENDENDO A MORRER

  

          Filosofando eu aqui com meus botões (como bem diz o jornalista Mino Carta, os nossos psicólogos mais baratos e em tempo integral) numa manhã absolutamente pasmacenta, depois que o carnaval privado saiu do perímetro urbano e o barulhão dos que ganham muito dinheiro com a orgia momesma assistida pela bengala pública, já não mais nos atormenta e nos agride o consciente-lógico (quem tem, é claro!!!).

          Lembrei-me então das perspectivas de Platão sobre a morte, onde ele acreditava e definia que “filosofar seria aprender a morrer”, o que foi seguido depois por outros filósofos e pensadores ao longo dos tempos.

          Se me fosse permitido um pequeno verbete na filosofada platônica, diria até que, como nossa única certeza na vida é a morte, quem passa a vida filosofando (aprendendo a morrer) certamente chegará graduado em seu dia último. E, como não quero chegar ao meu derradeiro dia sendo um calouro, vez por outra me coloco a filosofar coisas. Nada importante e duradouro como os grandes pensadores da humanidade, só pequenas frações dispersas de um quebra-cabeças em que as peças-chaves ficam sempre escondidas nas mãos de alguns poucos conhecedores de tudo.

           Minha filosofada desta manhã pasmacenta me levou a tentar entender por que diabos o atual prefeito Marão Filho licitou a merenda e o lixo nos primeiros meses de 2009, tendo conseguido assinar contratos para os serviços por quase a metade dos preços efetuados pelo seu antecessor e partidário Carlão Pignatari, que contratou os referidos serviços em regime emergencial por 8 (oito) anos sem licitá-los na forma da lei.

            Pensei primeiramente que poderia ter sido uma daquelas mensagens subliminares, onde o mensageiro, não podendo ou não tendo coragem suficiente para passar a mensagem clara, se valeu do dinamismo em licitar os tais contratos para, subliminarmente, chamá-lo acintosamente de ladrão. Mas, é só uma possibilidade, devido ao fato alardeado por aí de que o prefeito Marão Filho não teria sido o candidato preferencial do seu antecessor. Porém, observando toda a “parceria” arregimentada depois, poderemos chegar à conclusão de que esta minha filosofada não faz lá muito sentido.

            Uma luz (meio fraquinha de lamparina) então me veio a partir das lembranças dos meus poucos estudos sobre a vida de Sócrates (não o homônimo corintiano comunista, mas o filósofo da Grécia Antiga), quando na posição de general na guerra do Peloponeso, Sócrates, ao final da guerra e para salvar os poucos soldados que restaram, ordena que todos voltem rapidamente para Atenas, mas deixassem os mortos no campo de batalha - contrariando uma lei que obrigava o general a enterrar todos os seus soldados mortos, ou morrer tentando. Assim, ao chegar, ele é preso. Se valendo de todo o seu intelecto privilegiado e sua capacidade de persuasão, Sócrates consegue uma obviedade assustadoramente convincente para justificar seu ato, alegando que, se todos morressem, também não teria ninguém para enterrar seus corpos. Sócrates conseguiu então ser libertado com esta defesa prodigiosa.

          Filosofando então na defesa de Sócrates para justificar sua quebra da legalidade naquele momento, me ocorreu nessa filosofada que pode ter acontecido exatamente isso no episódio para justificar a quebra da legalidade pela qual passou o governo Carlão em seus 8 (oito) anos sem licitar a merenda e lixo, com a diferença de que a imprensa foi posta no campo de batalha e foi quem enterrou esses cadáveres ao badalar somente as virtudes do novo prefeito em licitar rápido e pela metade do preço, sem exaltar os vícios do anterior que ficou 8 anos sem fazê-lo e pagando quase duas vezes mais pelos mesmos serviços.

          Bom, mas é só uma filosofada decretada pelas lembranças do que está acontecendo na nossa vizinha Jales, onde a atual prefeita pode ser cassada por levar o lixo por 2 (dois) anos sem licitação.

          Como filosofar (segundo Platão) é aprender a morrer, tomem isso apenas por uma filosofada sem importância, já que estou aprendendo a morrer, mas não tenho nenhuma pressa em colar esse grau!!!

 



Escrito por LAMPARINA às 13h23
[] [envie esta mensagem
] []





EFEITO COLATERAL

 

 

          Estamos acompanhando as notícias regionais de uma sessão de julgamento do relatório da Comissão Processante na Câmara Municipal de Jales ( http://cardosinho.blog.br/ )  , que poderá resultar na cassação da prefeita Nice Mistilides, por não ter conseguido licitar o serviço de coleta de lixo e contratá-lo por regime emergencial, o que quase sempre custa muito mais caro do que um contrato sob licitação pública.

          Bom, falar disso é algo que me dá certa revolta, pois aqui, ficamos os 8 anos do governo do ex-prefeito Carlão Pignatari sem que o mesmo serviço de coleta de lixo tenha sido licitado e também contratado em regime emergencial. E não foi só o lixo, também a merenda passou muito tempo sob as mesmas condições, não me lembro agora exatamente quanto tempo foi, se só os 4 primeiros ou foi também os 8. Além do mais a empresa contratada em regime emergencial na merenda foi uma que foi investigada por irregularidades em várias prefeituras do PSDB, a J Coan.

           Nunca ninguém no Poder Legislativo se levantou contra isso, Nunca ninguém do outro poder que estou proibido de falar o nome fez alguma coisa. E finalmente, nunca a mídia local colocou sua pena para macular o ato, pelo contrário, pois quando o prefeito Marão Filho foi eleito e licitou o lixo e a merenda logo nos primeiros dias do seu governo, detalhe, por quase metade do valor que seu partidário antecessor pagava pelo mesmo serviço, a mídia exaltou às qualidades magnificentes no novo alcaide, sem sequer levar o dedo nas fuças do que passou 8 anos sem fazer a tarefa de casa.

          Diante disso que estamos vendo acontecer em Jales, entendemos melhor como funcionam as relações políticas com o legislativo e por que a politicalha local se preocupa tanto em sempre eleger 90% dos membros do legislativo que comam despreocupadamente da sua mão.

          Acho que a atual legislatura deve ter mais de 90%, né???

 

          Nesse caso a superdosagem não provoca efeitos colaterais!!!

 

Ps: O Blog do Lamparina não mordeu nessa fronha e devidamente manteve seus 7 ou 8 leitores informados sobre o fato quando eles aconteceram!!!



Escrito por LAMPARINA às 23h07
[] [envie esta mensagem
] []





SÓ UMA PARTE INVISÍVEL DO RESTO

 

 

          Domingo de carnaval, ainda entorpecido pelos festejos do momo, mesmo que a minha folia tenha se resumido ontem somente em curtir o som dos grilos do quintal, haja vista que ficamos livres do barulhão do carnaval privado (óhhhhh Glória!!!) que assolou nossas residências  por muitos anos, não que eu não goste de carnaval, mas é que, esse ano (e nos demais também), com essa roubalheira da Dilma na Petrobrás e o aumento absurdo dos impostos me impossibilitaram de adquirir um abadá para os cinco dias de folia pela módica quantia de quase mil.

          Dia leve e preguiçoso, não quero me ater aos assuntos pesados. Como já dito anteriormente tive a sorte de conhecer a obra de grandes pensadores através dos séculos e entender como a Filosofia e as diversas teorias ajudaram a explicar às relações entre os homens do seu tempo e do que se seguiu depois.

          Um dos meus aprofundamentos nos estudos é a obra de Karl Marx, sobretudo por ser reconhecidamente um dos mais completos pensadores científicos, mesmo existindo esta descrença contraditória numa das suas mais conhecidas e importantes projeções filosóficas, a de que em determinado momento no Capitalismo, com a concentração do Capital nas mãos dos proprietários de meios de produção ocorreria a “Proletarização”, ou seja, à concentração do Capital no topo da pirâmide decretaria o declínio dos que estão abaixo, até o insustentável caos que esta relação provocaria. Trocando tudo isso ao nível da percepção e do embasamento intelectual do meu falecido pai - que mal assinava o nome -, sempre pregou em casa: “o rico fica cada vez mais rico e o pobre fica cada vez mais pobre”, não precisando ser nenhum gênio para se observar isso acontecendo diante dos nossos olhos, nitidamente.

          Grupos vão se fundindo, dominado setores econômicos e concentrando o Capital (olha só o Lulinha incorporando tudo ao JBS. Me perdoem, não resisti a piada). O sujeito que abriu uma mercearia e a transformou em um supermercado, agora o vende para a Rede Pão de Açúcar - ou qualquer outra -, e fica com uma vaga de gerente no que antes era sua propriedade.                              

          A projeção catastrófica futurista prevista por Marx, de fato não se deu no seu tempo e nem parece estar perto de acontecer atualmente devido às ferramentas que o Capitalismo foi introduzindo para administrar esta relação entre os proprietários dos meios de produção e os não proprietários dos meios de produção, ou, burguês e proletário do seu tempo, patrão e empregado agora dos dias de hoje.

          As tais ferramentas do Capitalismo foram minimizando essa tensa relação que deveria existir entre burgueses e proletários, justamente pelos interesses serem tão conflitantes, com o burguês visando somente o lucro e o proletário somente o salário. Por isso existem atualmente tantas formas de iludir esta relação e fazer com que ela pareça amistosa, a ponto de disfarçar esta contraditória luta dos interesses e fazer com que continuemos seguindo sem que a projeção catastrófica de Marx se materialize.

           Tomemos por exemplo a sempre preocupação das empresas em seus setores de relações públicas de parecer se importar com o empregado, inclusive atualmente com a preocupação de deixar claro que ele ali é um “colaborador”, que faz parte ativa da condução da empresa, o que de fato não passa de mais uma ferramenta para abrandar a tensa relação que deveria existir entre as partes, já que o suposto título de colaborador não lhe confere autoridade alguma além do impronunciável, empregado como de outros tempos.

          O fato é que o uso dessas e de tantas outras ferramentas desenvolvidas pelo Capital têm conseguido se manter efetiva no controle e o proletário sequer tem a percepção de que está sob a ação delas (igual os antis nem percebem que estão sendo manipulados pelo PIG/PSDB).

           Bom, sob a perspectiva do Materialismo Histórico de Marx fica claro que existe uma linha que divide os interesses entre dois lados, de um, às condições necessárias para a produção de bens, o que ele chamou de infraestrutura e de outro, todo o resto, que ele chamou de superestrutura, estando o proletário e suas necessidades neste segundo lado.

           Muitas outras coisas podem ser interpretadas por essa perspectiva.  Ex: durante muito tempo o poder público veio amparando o crescimento do carnaval privado do Bloco Oba em nossa cidade. A prefeitura discretamente garantiu à concessão por muitos anos do espaço público do Centro de Lazer do Trabalhador ao grupo privado festeiro; realizava a manutenção e embelezamento do entorno no exato período para que tudo parecesse sempre limpinho e conservado aos olhos dos visitantes; o efetivo de segurança pública é reforçado para garantir a segurança pública e indiretamente também à externa da festa; o serviço de pronto socorro municipal público atende em serviços de saúde os que se entregam aos excessos da festa e, tantas outras formas de apoios diretos e indiretos que sequer notamos e ficamos de fato sabendo. Ao final da festa, os festeiros apuram o resultado obtido (doa 5 mil pra Santa Casa,  devidamente o ato replicado em tudo quanto é veículo de mídia local) e faz o rateio do total apurado  entre o grupo de sócios, podendo assim estarem enquadrados no conceito de infraestrura. Alguns comerciantes que se beneficiam com o consumo atípico nesses dias de festa também podem ser considerados parte destes meios de produção da festa e embolsam seus lucros privados advindos dela. O resto então - que nada ganha com ela além de um empreguinho de segurança, garçom, manobrista e etc -, pode ser enquadrado como superestrutura e será bancado pelo resto de todos nós, que ficamos com todo ônus da festa.

         Alguns dos meus 7 ou 8 leitores perspicazes dirão – Lamparina, você se esqueceu da prefeitura de Votuporanga, em qual parte ela se enquadra nessa relação???  

          Meus caros, não me esqueci não... A nossa administração pública municipal é usada como ferramenta para manter possível e imperceptível esta relação desleal (feito às ferramentas do Capitalismo que sustentam a passividade na também desleal relação burguesia x proletário, que tinha todos os ingredientes necessários para ser uma guerra permanente) em que um grupo fica com todo lucro e nós ficamos com todos os prejuízos.

          E, lógico que a administração municipal desenvolveu um discurso óbvio para nos enganar, dizendo que a festa canaliza dividendos, movimentando o comércio e fazendo o papel de Relações Públicas da cidade. Mais lógico ainda é que a administração municipal também fica com o dividendo político da festa, ao dizer e parecer empreendedora de algo positivo à sociedade, o que sem a devida contestação dos demais setores dominados (mídia lacaia local), acaba virando fato absoluto.

          Os dividendos da festa não deixam de ser uma verdade (parte do mecanismo de ilusão). Porém – À que preço??? – Esta deveria ser a pergunta que todos nós - os partícipes do “resto” -, deveríamos estar nos fazendo!!!

         

 

                           



Escrito por LAMPARINA às 15h44
[] [envie esta mensagem
] []





CANTOCHÃO PLIN PLIN

 

            O processo eleitoral foi duro e exaustivo. O resultado soberano e democrático das urnas bastante apertado, apesar de todo enfrentamento midiático e de passarmos por um  período em nossa histórica política em que temos um lado governando (ou pelo menos tentando) e outro apenas compondo uma oposição suicida, irracional e embasada unicamente na massificação midiática. É premeditado isso??? Tudo leva a crer que seja o mais absolutamente lógico.

            Não tendo atualmente um grupo que possa realmente compor algo de novo que nos convença, tendo isso ficado claro durante o processo eleitoral, já que o suposto novo abraçado pela Marina prometia pegar o melhor do PT e o melhor do PSDB para governar com o mió dos mió desses e dos demais partidos, e o PSDB não podendo militar abertamente nas prerrogativas neoliberais que entregaram todo o nosso patrimônio e potencial público de produção e serviços nas mãos do capital privado, nos condenando por contratos de 30 anos a um dos mais caros serviços públicos do mundo, com um dos mais reprovados índices de satisfação pública por eles; deu-se então que esse grupo político-midiático oposicionista milita incansavelmente somente na massificação midiática para desestabilizar o governo eleito e pegar carona nas oportunidades que poderão surgir caso o intento alcance êxito.

           Tenho acompanhado agora por esses dias todo o movimento na net com respeito ao suposto impeachment democrático do “FORA DILMA e leve o PT junto”, que está sendo convocado pelo poder midiático e turbinado nos bastidores pelo PSDB entre as mentes menos privilegiadas e desavisadas (os ditos homners do Bonner). Não vou me ater neste texto à velha trollagem destinada a adestrar, idiotizar e despertar a ira dos muito idiotas (aquelas imagens montadas com figurinhas, pensamentos distorcidos de personalidades públicas e grandes vultos, adaptados na indústria da idiotização e etc). Quero somente me ater às idiotices mais elaboradas. E tenho tomado conhecimento de algumas, que vão desde cartas politicamente corretas com grosserias milimetricamente endossadas por cordiais conhecedores da língua nativa, endereçadas à senhora Presidenta, até um misto de verborrágicas colocações para exprimir ódio, rancor e desconhecimento total dos autores sobre a vida e a realidade política da nação. Tenho tentado pular às de total falta de capacidade em promover uma crítica embasada, construtiva e honesta, mas se eu fizer isso terei que pular todas, pois em algum momento, mesmo que o autor esteja conseguindo levar um parágrafo no estilo crítico sério, logo no seguinte ele volta com a idiotização midiática na ponta da língua e os termos idiotizantes fluem feito um ser tomado pelo Espírito Santo, no caso, o espírito de porco  e rabo cumprido que faz plin plin. Aí a coisa degringola para o festival de petralhas, revolução bolivariana, cumpanheirada, Porto de Cuba (assunto que já foi amplamente mastigado na eleição, sendo que todos os setores produtivos e conhecedores do setor aprovaram o investimento), médico cubano e todo esse besteirol que o ódio induzido no período eleitoral canalizou aos raivosos antipetê. Daí sou obrigado a abortar a leitura, pois até pra mim, que faço uso da idiotice alheia para transformar em matéria-prima do meu trabalho, é demais.

          Gosto de ler e de discutir o contraditório com quem consegue embasá-lo de forma sóbria e serena sem me agredir, pois eu sei que jamais o agredirei por qualquer coisa ou palavra dita. Ler e discutir senhores da verdade e imbecis que não conseguem embasamento sequer para levar o garfo à boca por conta própria, é admitir o nosso fracasso como seres humanos, ditos individuais e perceptivos, já que estamos nos comportando no caminho contrário, nos permitindo ser conduzidos como bois forçados pelo tocador a trocar de pasto ao toque do berrante, que no caso, é ao toque do Cantochão Plin Plin.

          Agora, a pior de todas as idiotices é dizer que a Presidenta destruiu o Brasil - o mesmo país que ela fez crescer ao longo dos 4 anos de severa crise mundial que assolou o mundo, encolheu as principais economias do planeta e decretou arrocho, desemprego, fome, desespero e caos -, quando nós crescíamos suavemente, pouco, mas crescíamos, já que não temos as condições necessárias para o crescimento chinês, mesmo que ela tenha investido bem para que possamos melhorar no quesito.

          A outra lamentação canônica dos idiotizados é o suposto roubo e rombo da Petrobrás. Oras, para que servem então as instituições que pagamos um preço tão alto para manter??? Se for para a mídia apontar, apurar e julgar, que acabemos com esta república incapaz, excessivamente dispendiosa e contratemos só o PIG para exercer a função de investigador, delegado, promotor e juiz.

          Numa pesquisa básica e rápida por meios institucionais sérios, descobri que a gasolina no dia 18 de Julho de 1994, ou seja, 7 meses de governo FHC, custava R$ 0,55 o litro e o salário mínimo neste mesmo dia era de R$ 64,79, logo, o salário comprava 117,8 litros de gasolina. Segui a pesquisa e descobri também que ao final do governo FHC, em Dezembro de 2001, o salário mínimo era R$ 180,00 e o litro de gasolina R$2,25, comprando-se então 80 litros de gasolina com o nosso pobre salário mínimo, aumento médio no total do período de 409,09% na gasolina e de 277,82% no nosso mínimo vigente da época.

          O governo Lula começou com o preço da gasolina herdado por FHC, ou seja R$ 2,25 e com salário mínimo de 200 (promessa de campanha de arredondar aplicação dos índices de reajuste), o que comprava 88 litros de gasolina.

          Atualmente no governo Dilma temos um salário mínimo de R$ 788,00 desde 1º de Janeiro, com o último aumento da gasolina elevando o preço a R$ 3,17 em média (o mais barato 2,959 – Posto Grandes Lagos e o mais caro 3,399 – Alício Vilar Pontes, Posto Avenida e Posto Prático). Logo, o nosso atual salário mínimo tem poder de comprar 248 litros de gasolina.

          O aumento do salário mínimo no governo Dilma/Lula foi de 394% e o aumento da gasolina foi de 140,88%.

          Agora, já devidamente localizado diante dos números e fatos, certamente virão outros comparativos e outras alegações como a de que o salário mínimo não compra gasolina e todo o nhe nhe nhe que conhecemos. Então, faça você mesmo sua pesquisa comparativa e descobrirá que o salário mínimo dos governos Dilma e Lula também aumentou o poder de compra em todos os itens da cesta básica.

          Num país continental onde praticamente é inexpressivo o transporte ferroviário e hidroviário, em que mecanismos de desenvolvimento obrigam o governo a manter políticas de incentivo como nas regiões necessitadas deste (Zona Franca de Manaus e demais regiões amazônicas com incentivos) e parte da nossa produção industrial passeia de um extremo ao outro do país para obter esse desenvolvimento forçado em cima de caminhões, dá pra se ter uma ideia do impacto do preço dos combustíveis na nossa economia e de quem realmente roubou o Brasil, os brasileiros e a Petrobrás.

          Diante desses dados, a maioria numérica que votou na permanência da Dilma deveria se mobilizar também numa campanha agora para 15 de Março: FORA GLOBO, e leve a demotucanalhice junto!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

                            

 

 

 



Escrito por LAMPARINA às 14h43
[] [envie esta mensagem
] []





PERDAS E DANOS

 

           Com a facilidade de comunicação que a modernidade nos trouxe, nos últimos dias temos assistido a banalização de convocações - via zap zap, whatsapp e tundo quanto é tipo zap  -, para movimentações populares de protesto ensejando o impeachment da presidenta eleita democraticamente pelo voto da maioria, Dilma Roussef.

          O FORA DILMA é muito democrático. Eu, nos meus quarenta e tantos já assisti o Fora Figueiredo (que não passava de escrituras atrás de placas de rodovias e montanhas pintadas em cal, logicamente porque se os milicos descobrissem os autores, eles sumiriam repentinamente), o Fora Sarney, o Fora Collor, o Fora FHC, o Fora Lula e agora certamente (se eu não me for subitamente antes) assistirei mais um, o Fora Dilma.

          Desse monte de Foras que assisti, o único que realmente obteve êxito foi o Fora Collor, como nos mostra a história, porque haviam provas incontestes da participação direta do então presidente nos desvios aos quais ele foi acusado, em primeira mão, pelo próprio irmão Pedro Collor.

          As convocações na forma de trollagens que estão ocorrendo via internet e aplicativos geralmente estão acompanhadas de uma mentira (bem cabeluda) para exaltar o convocado, turbinar seu ódio já latente e ainda mais à sua descrença em todos os políticos do PT, primordialmente. Algumas trazem a tróllica mensagem de que vazou vídeos sobre a participação direta de Lula e Dilma no petrolão (reparem que há necessidade de macular os dois, pois na verdade são um só a derrotar), vi uma curiosa convocação mastigando o ódio em que até dizia que houve a descoberta de provas de que o lulinha é o dono da JBS.

          Agora, diante dessa nossa reportagem local afirmando que nosso deputado (de vocês) foi ter em SP com o nosso (de vocês) senador Trezentão Nunes a despeito da necessidade do PSDB na coordenação local desses movimentos (preparar o financiamento, logística e tudo mais necessário) de Fora Dilma, achei por bem também entrar na linha especulativa sobre as prováveis ações que podem se desenvolver e as consequências e intenções delas.

          Aí pode residir uma explicação óbvia para o recente escândalo em que a diretora da Central Globo de Jornalismo, Silvia Faria, enviou um e-mail a todos os chefes de núcleo com o seguinte conteúdo:

“Assunto: Tirar trecho que menciona FHC nos VTs sobre Lava a Jato

Atenção para a orientação

Sergio e Mazza: revisem os vts com atenção! Não vamos deixar ir ao ar nenhum com citação ao Fernando Henrique”.

          Se um suposto processo de impeachment alcançar só a presidenta Dilma, quem assume é seu vice Michel Temer e, constitucionalmente, poderá conduzir o mandato até o seu final. Mas, se o suposto impeachment (mais hipoteticamente ainda) conseguir pegar os dois ratos numa cajadada só, sendo também o Temer alvo do processo e, chegar ao seu final com a votação nas duas Casas Legislativas (precisa obter 2/3 dos votos nas duas votações) culminando com a perda do mandato dos dois na primeira metade do mandato, obrigatoriamente o presidente da Câmara assume e convoca eleições diretas dentro de 90 dias.

          Talvez seja essa a grande aspiração do PSDB para voltar ao poder de forma mais rápida, pois certamente o inexorável senador por SP José Chirico Çerra estará na vanguarda da união tucana para novamente e incansavelmente concorrer ao cargo, podendo assim ter a revanche de 2001 com o sapo barbudo Lula. Aí está à explicação mais óbvia para a Globo já estar blindando o FHC e os tucanos do PSDB do petrolão.

          Numa segunda possibilidade, pode ser também que o PSDB (e suas forças ocultas em todas as instituições da República) intente deixar o processo seguir para a segunda metade do atual mandato e, aí quem escolhe o novo presidente é o Poder Legislativo.

          Se nada disso acontecer e o Temer assumir num possível impedimento impechmeiro só da Dilma, certamente o PSDB estará lá de prontidão para oferecer a governabilidade necessária e, no mínimo, voltar ao poder indireto.

          Dentro desses prognósticos prováveis podemos observar a ânsia do PSDB em retomar o poder, de forma direta ou até mesmo indireta. Faltam dois pequenos detalhes para que isso tudo seja possível: arrumar provas incontestáveis de que a Dilma tenha participado diretamente dos desvios no suposto petrolão (coisa que ainda não existe, sequer a então presidente Graça Foster é apontada como conhecedora do possível esquema de propinas, segundo todos os delatores e ouvidos no processo até agora); combinar com o Lula para não sair candidato numa possível convocação eleitoral na primeira metade do mandato.

          Deve ser por isso que a grande mídia tacanha, parcial e golpista insiste em tentar colocar a Dilma e o Lula dentro da fogueira diabólica, mas cobrir FHC com o seu manto sagrado, para que o Farol de Alexandria, mesmo já tendo pendurado as chuteiras definitivamente, possa, do alto do seu histórico de o primeiro e único salvador da pátria tupiniquim (com sua privataria honesta articulada nas Ilhas Cayman), endossar novamente o Chirico Çerra como o seu substituo na imortalidade da história.

          O que virá depois certamente será a continuação da hecatombe administrativa da qual nos livramos em 2001, com a privatização do resto da incompetência em pessoa que ainda ficou estatal. Adeus BB, adeus Caixa, adeus Correios, adeus Petrobrás (essa, o verdadeiro sonho de consumo tucano).

          Só tem uma última ressalva. Na primeira privataria do tucanato o doleiro Alberto Youssef  foi o encarregado principal das remessas e depósitos em paraísos fiscais, conforme foi tudo descrito e detalhado no livro do Amaury Ribeiro Junior (A Privataria Tucana), com contas e endereços paradisíacos dessas remessas chegando e partindo.

          Agora com o Bertinho preso – Quem coordenará esse trabalho com tamanho profissionalismo???

          A Justiça tucana tem por hábito fazer milagres (como os 2 habeas corpus canguru ao herói da privataria Daniel Dantas fornecido pelo supremo juiz Gilmar Mendes na falecida Operação Satiagraha ). Diante disso, ainda podemos esperar que o tucano juiz Moro liberte o reincidente Alberto Youssef sob falta de provas e atestado total de inocência, ainda garantindo-lhe o direito de processar o Estado pelos dias em que passou no cárcere curitibano indevidamente.

          Danos morais não faltarão aos milhões, já que ninguém mais contratará os serviços de doleiro que já foi apanhado 2 vezes de mala-cheia. Perde-se a confiabilidade de mercado e, o Estado brasileiro - por Justiça -, terá que indenizar essas perdas e danos!!!

 

           



Escrito por LAMPARINA às 11h09
[] [envie esta mensagem
] []





FILOSOFIA DO MARTELO

 

 

          Eu não sei bem ao certo o que sairá desse texto, mesmo porque eu quase nunca sei ao certo por onde vou caminhar dentro deles. Só começo divagando e sigo um norte. É esta a receita dos escrevinhadores de horas vagas como eu.  Queria só falar um pouco de tudo sem chegar a nenhuma conclusão definitiva de nada.

          Busco na memória os últimos acontecimentos do cotidiano e nada merecedor de atenção me chega como inspiração. Acho que estou passando por aquela fase ruim do centroavante, que mesmo debaixo das traves e com o gol escancarado, não consegue desencantar do jejum de gols. Ou, daquele apostador viciado da Mega que há muito não faz sequer uma trinca de acertos pra massagear aquela única chance de uma em cada 50 e poucos milhões que cada bilhete apostado tem.

          Acho que os meus cabelos brancos andam me decepcionando com a atuação dos meus iguais e isso é um pouco frustrante.

          Dias atrás eu estava em Santarém-PA e conversava com o gerente do local onde eu estava, quando o assunto da moda eclodiu no papo – O senhor viu toda essa roubalheira do PT na Petrobrás??? – me disse o rapaz, já entrando no mérito e seguindo adiante como todo o ódio irracional midiático que está sendo pregado em torno do assunto e todos os memes da moda ditado pela campanha internética antipetista que prega o ódio ao PT e não o combate ao PT com ideias e opções racionais possíveis.

          É engraçado como fomos enganados por tantos anos pelo comando da Petrobrás, mesmo tendo descoberto agora que temos quase 200 milhões de especialistas no assunto, pois cada brasileiro se comporta como tal, uns para defenderem e outros para atacarem o PT e a presidenta. Eu, como não defendo e nem ataco, só tenho plena consciência de que os desvios e a corrupção habitam ali há dezenas de anos - acho que desde a pedra fundamental -, e como só agora eles se tornaram públicos, às instituições precisam provar de que barro são feitas e punirem exemplarmente os responsáveis todos por onde o descaminho transitou, e nós (os libertos) sabemos muito bem que esse caminho não está sedimentado somente pelo PT. O PT não é o chifre do bode vermelho, mesmo que alguns integrantes do partido certamente estiveram e ainda estejam dependurados num.

           Tentei tergiversar o assunto dizendo – É, vocês aqui reclamam do PT, porque não estão sob o chicote autoritário de um governo tucano por mais de vinte anos, que dominou tudo pela força da mesma corrupção e da arbitrariedade que atribuem ao rival vermelho, onde os sócios midiáticos não provocam nenhum  tipo de investigação para defender o povo de SP, que agora até escassez de água sofre, além da falta de esperança em um governo transparente e minimamente honesto.

          Mesmo assim o rapaz não se sensibilizou com a nossa total falta de esperança nos dois últimos modelos de governança dicotômica e seguiu metralhando – Essa Dilma é uma terrorista, esse PT é igual à sigla, uma Perca Total... Onde já se viu, esses bandidos estão acabando com nossos valores, nossa família, com o conservadorismo da nossa sociedade. É preciso intervenção militar urgente pra dar jeito em tudo isso.

          Bom, nesse momento eu joguei a toalha, pois tudo isso vindo da boca de um senhor com mais de 60 anos, seria compreensível, pois ele pode ter visto o filme apenas até a parte que bem quis e interpretou à sua maneira particular as partes perdidas. Mas, vindo da boca de um jovem com menos de trinta anos e que pouco viu desse filme, entendi que o jogo está perdido pela alienação dos clientes do cinema.

          Me teletransportei em meus pensamentos para os meus dezoito ou vinte e poucos anos e me vi jovem, militando ferozmente contra os resquícios invisíveis de vinte anos de ditadura (coisa que faço até hoje, neste exato momento), tentando desde sempre militar na minha área de atuação para que aquilo nunca mais viesse há ser realidade no meu país e na vida dos meus iguais, e naquele dia assisti ali a deprimente viagem de um jovem com algum esclarecimento aparente (não se tratando de um peão da estiva), com muita contribuição por dar à nossa jornada evolutiva, fazendo exatamente o caminho contrário e se enrolando inocentemente na bandeira do conservadorismo militar golpista como o manto sagrado da proteção social.    

         Eu tive a sorte (ou o azar, pois eu poderia agora ser só mais um nessa grande lista de massificados alienados e ser um feliz ser sendo isso) de quando jovem estudar os grandes pensadores da humanidade e, logo este episódio ocorrido em Santarém me veio à mente sob a ótica de uma das principais filosofias de Nietzsche, a Filosofia do Martelo, onde o filósofo alemão do século XIX se baseou na desconstrução das certezas de sua época para contundir suas teorias filosóficas. A Teoria do Martelo, como bem diz o nome, martela a desconstrução dos ídolos, sendo que esses ídolos do modelo Nietzchiano nada mais são do que todo tipo de modelo mental que escraviza a vida. Aquele pobre jovem alienado paraense, que se criou numa bela cidade onde tudo conspirava e estava fadado ao fracasso, nomeou a volta do regime militar e a manutenção do conservadorismo reacionário como o seu ÍDOLO e salvador da sua pátria, o deus que nos protegerá do PT e da nossa presidenta democraticamente eleita pela vontade da maioria. Logo, Nietzsche tinha razão em desconstruir os ídolos do seu tempo, mas eu não perdi tempo em desconstruir o meu interlocutor, pois tive pena dele e da sua falta de conhecimento sobre tudo, principalmente da sua realidade local, já que, para quem não conhece e não sabe, Santarém é uma bela cidade estratégica bem ao Norte do Pará. Estratégica, porque já é o caminho exportador do futuro pela bacia do Tapajós/Amazonas até o Oceano Atlântico, evitando todo o congestionamento dos grandes portos do Sul/Sudeste e Nordeste, além de ser o caminho exportador mais próximo do Centro-Oeste e parte do Norte para nossos mercados consumidores, mesmo Santarém e todo esse potencial tendo sido esquecido por governantes anteriores, mais precisamente desde o delírio militar da construção da Transamazônica (final dos anos sessenta, começo dos setenta), que ligou nada a lugar algum, à Cuiabá/Santarém que, teoricamente, seria o elo de ligação dessa grandiosidade da engenharia milico, não mais saiu de onde havia parado na gestão verde-oliva em meados dos oitenta.

          O projeto de asfaltamento da BR-163, conhecida como Cuiabá/Santarém foi retomado pelo governo Lula e eu estava em Terra Nova do Norte num dia de 2006 quando o então governador do MT, Blairo Maggi (certamente motivado pelo seu lado empresarial), bradou do alto de um palanque inaugural que o povo não queria saber se a rodovia era federal ou estadual, ele precisava da obra, justificando assim o investimento na parceria estadual com o governo federal num pequeno trecho da BR-163 (lembranças lamparinescas). A obra então ganhou ainda mais fôlego no governo Dilma e dos 1.300 quilômetros que separam Sinop-MT de Santarém-PA, atualmente faltam uns 300 ou menos por concluir, sendo que quase todos esses quilômetros estão sob alguma obra preparatória para o asfalto (quebrando o terreno montanhoso em boa parte da extensão que cruza o Pará, construindo pontes e sedimentando base asfáltica numa região de floresta e com todos os ingredientes de dificuldade extrema).

          Os otimistas acreditam que a presidenta Dilma deverá inaugurar totalmente este importante corredor exportador do futuro para o Brasil até o final do seu segundo governo. Os pessimistas acreditam que no trecho que está sob o comando do 8º BEC (Batalhão de Engenharia e Construção do Exército) deverá haver uma pisada no freio nessa inauguração (certamente pela “birrinha” que os milicos têm com o governo da terrorista democraticamente eleita pela vontade da maioria, não conjugando assim o verbo oportunista dos sonhos do Maggi, o maior produtor de soja e fibras do planeta Terra, ávido por exportar pelo caminho mais curto e mais barato). Porém, mesmo com a possibilidade dessa pequena insubordinação boicotesca ao chefe supremo das forças armadas, no caso da presidenta, à chefa, deveremos chegar ao final do governo Dilma com quase toda obra concluída, o que será o fim do eterno esquecimento governamental à uma região que ficou isolada do Brasil por décadas.

          Santarém é uma pequena Manaus, aonde a maioria de tudo chega pela bacia do Tapajós/Amazonas nas balsas e tudo por lá se paga o preço dessa logística complexa e cara. A partir do governo Lula o trânsito de grandes caminhões se tornou possível (mesmo na precariedade da falta do asfalto) na região e mudou esse contexto de isolamento, já com a operação da Cargill na cidade desde 2012, na exportação de grãos e na distribuição para o Centro-Oeste dos fertilizantes que chegam via importação.

          O elo de ligação e da quebra do isolamento dessa região se verifica de fato também com o asfaltamento do trecho da Transamazônica que estava estacionado por décadas em Marabá-PA e no governo Lula/Dilma arrancou em direção à Altamira, muito desse arranque se devendo à necessidade logística da construção da Usina de Belo Monte, mas que contemplará ainda mais o progresso de regiões que foram esquecidas por governantes anteriores.

          Diante de todos esses dados históricos e geográficos é que me sinto na obrigação de Nietzlista de acender minha pequena lamparina, sempre tendo o martelo virtual em mãos para quebrar possíveis ídolos que possam eventualmente nos cruzar o caminho, sendo esses ídolos compostos da falta de conhecimento ou o desconhecimento dos fatos que nos escravizam em pensamentos construídos para desconstruir o nosso próprio e o da realidade factível.

            Termino este já grande texto contrariando a máxima do Niilismo (a negação das punções em nome das verdades absolutas) em que me coloquei aqui apenas para marretar, pois nada aqui é uma verdade absoluta e você poderá encontrar muitas versões dela por aí, menos a minha, que é apenas relato histórico mediante o filme que assisti de camarote nesses quarenta e tantos de Brasil, mais de vinte perambulando por aí nele.

            Deve ter lá algum valor!!!

           Trocando em miúdos numa linguagem simples aonde até o Zé Povinho das Brisas conseguirá entender - sem a porra da linguagem filosófica e toda babaquice que precisamos conhecer -, para engolir que, a maioria de nós precisa ser enganada para servir fielmente aos conceitos de uma pequena minoria que vive da exploração desse nosso desconhecimento público – Santarém e Votuporanga talvez sejam os únicos lugares do Brasil em que o povo (aquela maioria absoluta desconhecedora de tudo e que repete o que o PIG fala igual papagaio de pirata) não tem motivo algum para reclamar do governo Dilma/Lula, pois aqui o dinheiro jorrou com fartura nas mãos de ladrões e canalhas de fácil reconhecimento, pois a natureza fez a sua parte e acabaram se tornando todos vizinhos lá na Reserva Ecológica do Butantan; e lá, o governo Dilma/Lula arrumou duas grandes finalidades para ligar a faraonice militar corrupta da Transamazônica, à  operacionalização do Porto de Santarém e a necessidade logística de Belo Monte!!!

      

 

 

 



Escrito por LAMPARINA às 03h51
[] [envie esta mensagem
] []





TROFÉU FERRADURA DE OURO 2014

 

 

          Com um pequeno atraso, o Blog do Lamparina, em sua quarta edição consecutiva, dá início agora ao grandioso lançamento da consulta pública que irá apontar democraticamente o árduo trabalho da nossa Câmara Municipal de Vereadores no ano de 2014, buscado assim o agradecimento e o reconhecimento público da população para os melhores e mais atuantes legisladores da Casa do Povo de Votuporanga.

          É sabido por todos o enorme prestígio que este prêmio consagrador acumulou ao longo das três primeiras edições e o retorno público que este reconhecimento devolve aos que realmente se esmeraram na exaustiva labuta parlamentar. Então, é chegado a hora da população exercer o democrático direito de voto no TROFÉU FERRADURA DE OURO 2014.

          A edição deste ano propõe uma pequena mudança nas regras, pois nas edições passadas somente puderam ser votados os nobres edis detentores de mandato em exercício e legitimados pelas urnas. Porém, devido ao apelo popular, nos foi colocado como possibilidade à participação do cidadão Antonio Marcos Albacete, o popular Xororó, que não obteve êxito no pleito em 2012, mas vem desenvolvendo importante trabalho fiscalizador dos atos e das ações dos nossos agentes públicos, reconhecidamente então um legítimo fiscal voluntário do povo, obtendo assim o direito de também receber votação no referendo democrático.

          A direção do Blog do Lamparina resolveu então acatar o apelo popular e possibilitar a participação do Xororó Albacete. Caso algum dos 15 nobres edis eleitos e legitimados se sintam prejudicados por este precedente previamente aberto, devidamente embasados por alguma alegação que justifique o estorno dessa possibilidade, o Blog do Lamparina será obrigado a abortar a participação desde candidato (bastardo) para que não sejamos molestado judicialmente pela suposta parte ofendida.

          Sendo assim, o concurso FERRADURA DE OURO 2014, excepcionalmente, terá validado votos em favor dos 15 candidatos legitimamente eleitos, mais o excepcional vereador voluntário Xororó Albacete.

          Sempre lembrando que, as notas vão de 0 a 10 e a votação poderá acontecer pelo Blog do Lamparina no: http://robertolamparina.zip.net e pelo Facebook  na página do Roberto Lamparina, devendo ser identificado o candidato preferido e a emissão de nota para que seja computada e decretado o vencedor da disputa de forma clara e democrática. Quem não emitir nota ao seu candidato, o Blog apenas computará a nota mínima. A votação terá prazo de trinta dias a partir desta data para  apuração e proclamação do vitorioso.

          Seguem as notas independentes emitidas pelo Blog, sem pretensão alguma de influenciar nossos leitores, que estão livres para votarem em seus preferidos!!!

         ANDRÉ LUIZ FIGUEIREDO – André da TURA: ainda demandando de imenso prestígio por ser o vencedor da última edição do FERRADURA DE OURO e devidamente motivado por isso, seguiu a trajetória fiscalizadora em seu mandato em 2014, um ano cheio de matéria-prima para o desenvolvimento de mandato fiscalizador, já que o Executivo atravessou o ano paralisado pelas contingências demandadas ainda pelos desdobramentos da Operação Fratelli e o fermento diferenciado que fazia nossa pão crescer mais do que a maioria não pôde mais ser usado de forma libertina como antes. Pesa contra o nobre edil da TURA a escorregada estratégica ao servir de galho para que um macaco-santo tentasse sua perpetuação na condução da direção da Casa. (nota 6)

 

ANTONIO MARCOS ALBACETE – Xororó: não conseguindo êxito no pleito eleitoral de 2012, o nobre edil voluntário Xororó deixou o conforto dos políticos perdedores (de ficar esperando o próximo pleito e negociando novos conchavos e se vendendo para a Turma...), para tentar um mandato representativo voluntário na fiscalização cidadã de ações que o Executivo deixa a desejar e de cumprir. Parece que tem dado muito certo e o nobre edil voluntário já conta com grande número de  admiradores da sua coragem e da sua audácia na busca e na publicação das mazelas administrativas que nos assolam. É certo que o trabalho legislativo desenvolvido pelo Xororó ganhou notoriedade diante do caos administrativo que nossa cidade se tornou no pós-Fratellli. Tem sido um dos nossos mais atentos edis e, não nos custa nenhum centavo de salários e muito menos arrobusta o resto do custo operacional que movimenta a Casa. (nota 10)

DOUGLAS LISBOA DA SILVA: já mais aclimatado ao mandato, o nobre Douglas seguiu 2014 pisando em ovos e tentando conciliar um mandato de representação popular com os interesses pretendidos pelo Executivo, o que é como colocar o fogo contra o gelo. Conquistou no decorrer do ano alguma autonomia política, o que melhorou substancialmente sua atuação parlamentar. (nota 6)

EDILSON PEREIRA BATISTA – Edilson do Santa Cruz: o nobre edil Edilson seguiu virtuosamente seu combate domquixoteano em várias frentes, sempre tentando uma lacuna para poder se fazer notado pelo chefe do Executivo. Na incansável labuta de soldado em diversos fronts, afirmou-se na negativa condição de o maior gastador de verbas públicas com viagens na legislatura, colocando quase 100% em cima do segundo colocado. Também teve o mandato prejudicado por ser um dos 5 discípulos da tentativa de perpetuação antidemocrática de perpetuação. (nota 4)

ELIEZER ANTONIO CASALI - ex-Eliezer do Padre: mandato terrivelmente comprometido pela tentativa torpe de se perpetuar na condução da presidência da Casa, perdendo o apoio e o respeito até dos que confessam sua fé e ali o colocaram para representá-los. (nota 0)

GILMAR AURÉLIO – Gaspar: continuou 2014 como um bom copo d`água: incolor, insipido e inodoro. E, pão que não cresce, encrua.  (nota 3) 

JURANDIR BENEDITO DA SILVA – Jura: devidamente enquadrado e cônscio da sua importância no contrabalanceio da Casa, recuperou-se da ameaça homônima do asfalto e segue uma labuta firme na representatividade popular. Tem independência, tem traquejo parlamentar e tem respaldo popular. Falta mais empenho fiscalizador e ações práticas contra alguns despautérios do Executivo. (nota 7)

MATHEUS RODERO DE OLIVEIRA – o Radar da balada: continua desenvolvendo mandato inexpressivo e sem progressão. Não sabe quem representa e o que ali está fazendo, com o agravante de ser um dos que achincalharam a discreta presença dos padres na Casa do Povo no episódio da tentativa de perpetuação do presidente Eliézer (padre não é cidadão???), tendo sido um dos seus 5 discípulos. Precisará pedir muito perdão por esse pecado, aos padres e à democracia da Casa, maculada na tentativa sem êxito. (nota 3)

MEHDE MEIDÃO SLAIMAN KANSO – Meidão: tentando se recuperar daquele fatídico dia eternizado na história em que, fazendo uso da tribuna da Casa do Povo, tentou legislar contra os interesses desse povo defendendo os interesses de uma confraria criminosa que nos lesou em milhões. Mandato prejudicado por problemas de saúde, mas mesmo assim sendo o diamante-rosa mais brilhante da Casa. (nota 5)

OSMAIR LUIZ FERRARI – Osmair da Promoção: segue mandato exemplar. Experiente, independente e sabedor das suas responsabilidades na ação de conter os excessos do Executivo, principalmente sendo ele um membro do partido do prefeito. (nota 10)

OSVALDO CARVALHO DA SILVA – Osvaldo Carvalho: ainda desenvolvendo mandato tímido frente ao projeto maior de sua pretensão. Em 2014 teve mandato prejudicado pela campanha eleitoral. (nota 8)

PEDRO WALDECI CRESCENCIO – Pedro Beneduzzi do mosquitão: um infante suicida disposto a morrer a toa. Mandato prejudicado também por se colocar voluntariamente como um dos 5 discípulos da perpetuação no poder. (nota 3)

SÉRGIO ADRIANO PEREIRA – Serginho da Farmácia (ou da Mal...???): seguiu silencioso mandato, mesmo todo mundo sabendo que pra falar ele não é dos melhores, mas meche pauzinhos com mais habilidade do que chinês faminto, característica peculiar que lhe rendeu eleição junto aos pares como o novo presidente da Casa para 2015. (nota 4)

SILVIO CARVALHO DE SOUZA – Silvão: mandato sempre prejudicado pela necessidade de liderar os interesses do Executivo e pela sempre disposição em compor contestação aos críticos da administração a qualquer preço, mesmo se enlameando na falta de conhecimento ideológico e histórico. Teoricamente tem capacidade e perfil de líder, mas na prática se comporta como o balconista de boteco de periferia, que faz o troco e serve a paçoquinha do moleque com a mesma mão infecta sem proteção alguma, mesmo sabendo que no ato está disseminando pestes e infecções. (nota 4)

WILMAR FERREIRA DA SILVA – Wilmar da Farmácia: continuou firme em seu mandato pífio e sem relevância alguma, nem representativa e muito menos nos bastidores do poder. A continuar na mesma linha, certamente será a maior decepção legislativa dessa legislatura, já que era esperança de mandato representativo digno da sua capacidade bem superior a isso. Ainda pra piorar, teve também mandato prejudicado por se incluir como um dos 5 discípulos da perpetuação, além  da piada depreciativa de bastidores (provavelmente oriunda do episódio - “se beber, não tente transpassar a linha do mata-burros”) que insinua que qualquer mata-burros segura ele pastando onde manda o Executivo . (nota 1)

WALTER JOSÉ DOS SANTOS – Wartão da Cecap II: buscando algum traquejo, vem tentando sobrepor às dificuldades e desenvolver mandato representativo junto a sua comunidade. (nota 5)

         

 

           



Escrito por LAMPARINA às 23h03
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]