Meu perfil
BRASIL, Sudeste, VOTUPORANGA, VILA MARIN, Homem, de 36 a 45 anos, Zulu, Azerbaijani, Tabacaria, Animais, fazer a cobra fumar
MSN -




Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Facebook do Lamparina
 Blog do Lamparina (antigo)
 Twitter do Prefeito Marão Filho
 Twitter do Lamparina
 Dcionário Priberam da Língua Portuguesa
 F. Pepito Verbos
 T.C.E
 T.R.E-SP
 T.S.E
 Câmara Municipal de Votuporanga
 Prefeitura Municipal de Votuporanga
 SAEV
 UNIFEV
 Portal Transparência Brasil
 Blog do Azenha Vi o Mundo
 Carta Capital
 Jornal A Cidade
 Jornal Diário de Votuporanga
 Conversa Afiada do PHA
 Blog do Eduardo Guimarães
 Blog Escrevinhador do Rodrigo Vianna
 Blog do Professor Hariprado
 Blog do Josias de Souza
 Blog do Luciano Viana
 Observatório da Imprensa
 Óleo do Diabo (Gonzum)
 Blog do Paulo Cosmo
 Blog do Ricardo Fujiro
 Portal Vermelho org.
 Jornal do Poeta Gibim
 Blog do Miro
 FBI
 Blog da Dilma
 Terra Goyazes
 Criador de Saci
 Amigos do Presidente Lula
 Blog da Irmã Cleycianne
 Blog do Celito Garcia
 Blog do Manuel Ruiz
 Receita Federal (consulta de CNPJ)
 Blog do Virgulino
 Refluxo News
 Pedagiômetro
 Votulandia
 Blog do Cardosinho
 Blog do Juliano Matos
 DOMíNIO PÚBLICO
 trezentos
 Blog do vereador Osvaldo Carvalho
 Blog do Fofoqueiro
 Uma vida sobre duas rodas
 Blog do vereador Meidão
 jornal O Jornal
 Votunews
 Diário Web
 Receita - Consulta CGC




BLOG DO ROBERTO LAMPARINA
 


HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 14h15
[] [envie esta mensagem
] []





ANTÍDOTO...

O PRIMEIRO SINTOMA DO IMBECIL É SE RECONHECER NA ARTE.
O SEGUNDO SINTOMA DO IMBECIL, DEPOIS DE SE RECONHECER, É TER MEDO QUE MAIS ALGUÉM O RECONHEÇA.
O TERCEIRO SINTOMA DO IMBECIL É TENTAR SE VALER DE TODOS OS MÉTODOS PARA CALAR A ARTE, JUSTAMENTE PORQUE ELE JÁ SE RECONHECEU E TEME QUE ASSIM TODOS O FAÇAM.
O IMBECIL PODE CHEGAR AS ÚLTIMAS CONSEQUÊNCIAS PARA CALAR A ARTE, POIS ELE VÊ NELA A FERRAMENTA QUE O DESMASCARA PERANTE TODOS, MAS NÃO CONSEGUE ENXERGAR QUE A ARTE É SUA ÚLTIMA CHANCE DE DEIXAR DE SER IMBECIL, É O ANTIDOTO CONTRA A IMBECILIDADE!!!




Escrito por LAMPARINA às 01h04
[] [envie esta mensagem
] []





UM FURO NO FURO DA MEIA

 

          A título de registro histórico, seria bom que cada brasileiro e brasileira assistisse a este vídeo (https://www.youtube.com/watch?v=-pCgO71lVnk ) para comparar o modelo de imparcialidade ditado pela grande mídia brasileira.

          Notem que este é um vídeo retrospectiva do primeiro ano do governo FHC, onde a Globo sentiu a necessidade de afagar desinteressadamente o grande líder neoliberal da Nação.

          O vídeo é um puxão de orelhas no povo, mostrando que o nosso Farol de Alexandria, com um ano de governo já era um estadista condecorado e reconhecido pelo mundo, porém sofria hostilidades internas da gentalha ignara tupiniquim, que tardou em reconhecer seu inestimado valor.

          Outro detalhe que lhes chamo atenção, é que eu sou pobre há 46 anos, portanto um especialista em vestir roupas de irmãos mais velhos e andar com meias furadas, porém nunca dantes na minha longa vida de pobre andei com uma das minhas muitas meias furadas que não fossem nos locais da superfície do pé onde elas tem contato direto com o calçado, geralmente dedos, solado e calcanhar. A meia cenográfica furada do FHC está furada no cano, na altura da canela, o que prova que (a menos que ele tinha um cachorrinho daqueles tarado que fica rufiando na perna do dono) até o furo da meia do FHC foi cenográfico e provavelmente produzido para esta filmagem, já que não ficaria bem o presidente aristocrata tirar o sapato em público para que as câmeras desinteressadas da Globo flagrassem o delito, fizeram um furo na meia dele na altura da canela para que este pudesse ser mostrado ao acaso.   

           Esse é o FHC da Globo, todinho montado e produzido por ela!!!

          Diante deste fato, compreendemos melhor como foi o episódio da bolinha de papel que foi atirada pelos militontos petistas e que causou traumatismo craniano na cabeça do Çerra, segundo os especialistas da Globo e suas câmeras exclusivas que presenciaram o fato.

          Até quando o povo brasileiro será vítima dessa organização criminosa com concessão pública televisiva, seria a pergunta que os brasileiros que vivem sendo enganados por ela deveriam se fazer!!!

 

          



Escrito por LAMPARINA às 23h36
[] [envie esta mensagem
] []





COISAS ESTRANHAS PODEM ACONTECER...

 

          A tevê Globo é a maior operadora do PIG porque ela se vale de uma audiência ainda insuperável na péssima programação da tevê pública nacional para modelar qualquer coisa ao seu gosto e intenções. Não tem nenhum escrúpulo televisivo ou respeito por seus profissionais, se para isso precisar se valer de uma intervenção na grade de programação para massificar suas intenções. Faz isso constantemente e não é difícil de notar na programação essas intervenções providenciais. A intenção é passada no contexto pretendido sob qualquer prisma, pois mesmo que seja no programa de receitas da Ana Maria Braga, dá-se um jeitinho de colocar lá no meio do robalo com alcachofras que está sendo assado pelo convidado na cozinha da loira - sob controle operacional do novo galã Chay Suede, o novo frisson das incautas -, alguma lama negra recolhida do rescaldo corrupto da faxina moral da cruzada contra o petralismo praticante imposto à Nação pelo bolsa-miséria desde 2002.

          Nós telespectadores já nos acostumamos a isso e nem mais notamos esses pequenos deslizes da emissora, mas às vezes eles passam do ponto.

          No programa do Serginho do dia 27 (assistam aqui: http://globotv.globo.com/rede-globo/altas-horas/v/gloria-maria-afirma-que-nao-teve-combinacao-na-entrevista-com-venina/3858894/ ), mais uma dessas intervenções se fizeram necessárias para dar ainda mais ênfase à grande entrevista que a jornalista Glória Maria fez com a gerente da Petrobrás Venina Velosa, a nova estrela da teledramaturgia da Globo.

          A intervenção serviu apenas para reforçar o contexto do furo jornalístico que foi ao ar primeiramente no Fantástico do domingo anterior, dando assim credibilidade ao modelo natural da entrevista, segundo a jornalista Glória Maria, contemplada com a escolha da Venina pela sua credibilidade (como diria o nosso vice: kakakakaka) e para que ela a (Venina) pudesse levar ao grande público todas as formas de perseguições que sofreu ao longo do exílio em Cingapura (exílio-prêmio, turbinado com salário e benefícios que chegavam a quase 200 mil por mês entre salário e ajuda de custos, mas isso não tá lá na entrevista e nem na intervenção da Glória credibilidade Maria) depois de se tornar mártir e denunciar irregularidades na administração da estatal.

          Na intervenção também fica claro que a Globo precisava dar seriedade à denunciante e tenta então implicitamente marcar a cronologia da carreira dela colocando-a como uma meritocrata que fez carreira brilhante na empresa e que a certa altura este brilhantismo foi ameaçado pelo aparelhamento petralista na direção da estatal apodrecida.

         Bingo... Outro ponto para a Globo, que já tinha alcançado êxito na vitimização do corrupto confesso Paulo Roberto Costa (o arrependido e contemplado com a delação premiada) e agora também conseguiu imputar a pecha de coitadinha na testa de Venina, uma mulher que teve a vida aterrorizada por perseguições que levaram ao fracasso total da vida pessoal e até do casamento.

          Eu assisti ao programa do Serginho naquela noite e praticamente chorei, não fosse um cisco ter entrado primeiro em meus olhos e provocado lágrimas por irritação.

          Vendo do ponto de vista prático, tendo o casal Paulo Roberto Costa e Venina Velosa (venosa) tendo assinado contrato com a Globo e estando disponíveis às necessidades do departamento de dramaturgia, caso haja mais algum imprevisto como o que houve com a atriz Drica Moraes que precisou ser substituída emergencialmente pela Marjorie Estiano - sem que o autor ao menos se valesse de uma justificativa qualquer lógica, apenas se valendo da enigmática e reticente frase: coisas estranhas podem acontecer... -, o casal Paulo Roberto Costa e Venina Velosa podem assumir o papel profissionalmente.

          Eu, particularmente, vejo muito mais talento na Venina e no Paulinho do que no casal de protagonistas Lilian Cabral e Alexandre Nero na novela das 9.

          Talvez eu esteja acabando de dar mais uma ideia de intervenção à Globo e colocando o pobre Aguinaldo Silva em saia justa novamente...

          Mas, como diz aquela propaganda se seguros, vai que...

          Se algum imprevisto acontecer com a Lilian e com o Alexandre, certamente será o novo casal de contratados que estarão a cargo da substituição. Claro, se trabalhar estiver na grade de benefícios da delação premiada do Paulinho.

          Se o Aguinaldo, profissional da mente altamente criativa não conseguiu explicar a substituição da Drica pela Marjorie, o pobre terá que se virar nos 30 pra explicar a nova possibilidade de substituição.

          Falando em se virar nos 30, quando será que a Globo entenderá que Esquenta, brasileirinho da Globo e Faustão é muita carga para um domingo inteiro na tevê pública??? (a melhor forma que a Globo encontrou pra vender sua tevê privada ao consumidor brasileiro, foi fazer da sua tevê pública uma privada)

          Desse jeito minha cirurgia de varicocele não cicatrizará nunca!!!

          

         

 

          



Escrito por LAMPARINA às 11h49
[] [envie esta mensagem
] []





LAMBEDOR DE COTOVELOS

 

          Faz muito tempo que eu cheguei à conclusão que eu sou um chato.

          Sou chato porque defendo meus pontos de vistas, minhas convicções, sempre deixando absolutamente claro nesses contextos o que é a minha opinião, o que é teoria e o que são fatos históricos que estão aí ao alcance e ao conhecimento de todos, bastando para quem não os viveu, procurá-los. Embaso-me em argumentações lógicas vividas na minha experiência de vida para poder olhar para trás e fincar os pés na realidade do presente, sempre mirando o futuro.

          Outro dos meus muitos defeitos é não precisar de exército pra fazer guerra. Se eu enxergar glória na batalha, luto sozinho. Então, não preciso estar no conforto da maioria para ser valente e destemido, assim como também não preciso me acovardar diante da minha minoria, às vezes até única.

          Já fui mais soldado e hoje, ao preço dos brancos cabelos, aprendi a encontrar o meu espaço pequeno e fazer dele meu forte-apache, meu recanto seguro. Portanto, não saio por aí postando coisas na página de ninguém, mesmo porque não adiantaria, já que nitidamente aquela pessoa não tem nada em comum comigo e já tem opinião formada. Não fico perdendo minha capacidade militante e meu foco com quem não está buscando opiniões para formar juízo.

          Mas, atualmente e depois desse último período eleitoral a coisa degringolou com o surgimento dessa nova orda de chatos, os neochatos fascistas. É fácil notar o perfil do neochato fascista porque ele não respeita espaço, ele posta compulsivamente mais na sua página do que você; ele não exemplifica, só massifica; ele nunca te viu nem de longe, mas tem absoluta certeza que você não vale nada porque você pensa diferente dele e para ele só vale alguma coisa os que são iguais a ele (comportamento histórico típico dos nazi-fascistas); ele se vale das manobras ensaiadas da mesma espécie dele para atribuir rótulos, tipo: ahhhhh me desculpe, mas você é petista, pois todo mundo que pensa diferente dele tem obrigação de ser petista; ele compartilha aquela infinidade de figurinhas e montagens de trollagens tão magnificamente industrializadas nos porões das linhas de montagem das novas Gestapos que surgiram pelo Brasil afora; ele idolatra grandes pensadores como o Roger Ultraje, o Lobão ex-petistinha noiado, o Danilo  Gentili, devora todos os manuais de cura-gay do Feliciano, pois ele não admite conviver com a diversidade, quer tudo uniformizado igual a ele. Devora os vídeos e livros do Olavão sobre as teorias que ele colecionou ao longo da vida sobre os ditadores gayzistas, abortistas, satanistas bolivarianos, ateistas mautsoviete comedores de incapazes, anarco evochavistas marxisitas demonordestinos, adoradores do lulopetralhismo.com.Br, pcceistas, maconhoanarquistas comunas de cuecas verde, difamadores do PIG e da elite separatista paulistianista quatrocentenária, ou simplesmente os idiotizados pelo PT, aquela facção criminosa disfarçada de partido político que se vale de técnicas de hipnose para manter uma militância doentia que acredita que os ladrões mensaleiros, principalmente o Zé Dirceu e o Genoíno, são heróis. Lógico que não dá pra enganar todo mundo só com hipnose e deve correr um bolsa-família por fora para se manter essa militância canina votando e votando e militando pelas ruas sem ganhar nem um tostão dos milhões afanados pelo lulopetralhismo. Só o Lulinha ficando com o dinheiro roubado e comprando a JBS e o Brasil inteiro, além das milhares de fazendas que o pai ex-operário safado e vagabundo que cortou o próprio dedo para receber o benefício já comprou, não dá, né???

          Eu não costumo entrar na página de ninguém, a não ser que me solicitem amizade e, não sabendo de quem se trata, entro para dar uma espiadinha no perfil antes de aceitá-la, mas caí na tentação de entrar no perfil de um desses neochatos fascistas. Assustei-me em ver como o ser humano está sendo desabitado da razão, como alguém consegue assim com tanta facilidade uma ação de despejo contra a identidade de uma pessoa e faz dela um soldado da boçalidade e da inutilidade. Como é tão fácil dominar o mundo a ponto de qualquer doente poder fazê-lo. Entendi então algo que sempre busquei resposta, como Hitler conseguiu entrar para a história.

          A foto do perfil não é a dele, mas a da presidenta  Dilma com corte de cabelo militar, usando uma gandola do Mao e ostentando a bela estrela vermelha no peito em continência, o que já por si o ato prova a demência que vem pela frente. No perfil diz que ele é de Florianópolis, tem 45 anos e tem sobrenome alemão, típico da colonização europeia da região, o que só isso já explicaria. Em suas postagens não tem absolutamente nada que não denote a obsessão que ele tem pela trinca demoníaca Dilma/Lula/PT. Todo mundo posta uma oração, uma flor, um vídeo engraçado, uma piada de mineiro, uma charge inteligente, um cãozinho meigo, ou até um viral daqueles com mulheres peladas de isca, mas o amigo do meu amigo Nelson Serezo Nishimura só tem tara pelo PT/Dilma/Lula.

          Acabei pegando certo medo desse senhor, pois obsessão pode passar para o estágio da psicopatia e ficar perigoso, principalmente agora com a possibilidade do término do bloqueio a Cuba e da abertura de mercado por lá. Cuba virando um paraíso capitalista, certamente não mais aceitará a entrada dos milhões de petistas e demais despatriados da grande nação neochata, que pra lá estão sendo mandados para o exilio.

          Tenho medo de que os neochatos fascistas ficando sem ocupação, se dediquem integralmente à tentativa exaustiva do exercício de lamberem os cotovelos.

           Mas já adianto, nem todos conseguem!!! 

 

 

Ps: Este pequeno texto é uma homenagem a minha amiga Rosa Chiqueto, que momentaneamente está em retiro espiritual se recuperando das sequelas da campanha. Espiritualizada, minha amiga sentiu o peso dos maus espíritos ítalo-alemães vagando por aí e encontra-se em oração para que voltem de onde vieram. Também está se preparando para a principal viagem do dia primeiro, pois ela será uma dos milhares de petistas que irão à posse da Dilma, pois nem todo mundo é perfeito e esta minha amiga é petista coitadinha!!!



Escrito por LAMPARINA às 13h20
[] [envie esta mensagem
] []





DATALAMPARINA

 

          Muita coisa por se falar e muitas observações a se anotar nos tempos atuais, porém para não incorrer no mesmo repertório do que está sendo falado por todos, falarei o que todos falam de forma diferenciada.

          Faz muito tempo que tomei gosto pelas estatísticas e como ainda não consegui recursos para fundar o meu próprio instituto de pesquisas (provavelmente se chamará DataLamparina) como o pessoal do PIG, me viro como posso para alimentar essa minha tara pelos números e pelas possibilidades de acertar por amostragem, ou não.

          Como não tenho tempo ocioso, uso sempre como referência em minhas pesquisas os (as) arrecadadores (as) de pedágio, que são provavelmente as pessoas com quem mais consigo tempo de conversar ao longo do dia (certamente pelo fato de ter pedágio de 40 em 40 km aqui em SP), mesmo sendo somente aqueles 30 segundinhos em média entre o recebimento e o retorno do canhoto autenticado com o troco. Os próprios 30 segundinhos aqui citados já foi uma das minhas consultas do passado.

          Ultimamente estou tentando comprovar uma tese que sempre tive por certeza, mas que somente os números realmente irão me mostrar à verdade por amostragem. É que sempre tive a teoria de que pessoas que não ostentam aquela beleza exterior (aquelas que foram o alvo principal do Ibrahim Sued) acumulam também carga excessiva de deselegância, falta de humor e desatenção geral. Em suma, são feias, grossas e geralmente lerdinhas das ideias.

          Como dizem que naquelas cabines de pedágios tudo é gravado, pois qualquer gracinha do usuário para com as arrecadadoras pode virar uma tentativa de assédio, tive que desenvolver uma abordagem sútil para não ser enquadrado como assediador e obter minhas respostas estatísticas, no momento apenas em andamento a estatística feminina. A pergunta basicamente consiste em dizer – Nossa, não sabia que aqui nesse pedágio as funcionárias eram contratadas por concurso de beleza?!?!?!

          Dito isso para 5 feias e 5 bonitas, o resultado parcial acumula até o momento o resultado de 5 x 1 para as bonitas, que geralmente agradecem, tendo uma até me pedido o número do telefone para contatos mais imediatos depois do galanteio disfarçado. Das 5 feias cantadas, digo, submetida à pesquisa, 4 não responderam nada e fizeram cara de que não entenderam a pergunta e uma respondeu brava, que fez sim prova e teste de avaliação para a vaga de trabalho. Saí logo, antes que fosse alvo da revolta que ela parecia nutrir da vida naquele dia. Certamente as feias não estão acostumadas a serem cantadas, digo, pesquisadas.

          Outra pesquisa já encerrada e que apontou números preocupantes, é que toda arrecadadora de pedágio olha para as mãos do usuário no momento da entrega do dinheiro, pois é sempre feita com a mão esquerda - caso o motorista não seja maneta -, e, se ele não tiver usando aliança, elas são mais educadas e agradáveis com sorrisos frouxos. Se o usuário estiver usando aliança, se restringem somente ao boa viagem da atribuição espontânea do ofício depois do roubo institucionalizado para qual foram contratadas.

          Seguindo nesta minha linha de um módico estatístico do ócio, acompanhando alguns comentários aqui e ali, percebi que depois da eleição última nossas reações estão bem previsíveis e com duas ou três palavras trocadas com um interlocutor qualquer você já consegue saber de que barro ele é feito, pois não existem mais muitas variáveis. O cenário ficou dividido entre os que amam a Dilma, o Lula e o PT, e os que odeiam eles. Nós, que porventura não amamos e nem adiamos, mas só nos solidarizamos com os avanços sociais e a distribuição de renda inegável que ocorreu na saga do petismo, acabamos sendo odiados também por demonstrarmos nosso sagrado direito de concordar discordando ou vice e versa.

          Amar demais e odiar demais acaba nos privando do melhor dos nossos sentidos, o sentido da razão, à capacidade de olhar algo e ver o que está implícito, ou ver o explícito que está a mostra tentando esconder o implícito escondido.

          Nós que votamos pela continuidade do governo que aí está temos o direito de cobrar por tudo que ele ainda não fez. Os que nele não votaram têm a obrigação de desconstruí-lo e às suas ações, porém é preciso ter argumentos, principalmente ter coerência na desconstrução para não passar diretamente do céu para o inferno sem o refastelo no purgatório.

          Um professor indignado me dizia num dia desses com o ódio transbordante nas palavras – Onde já se viu indicar o Cid Gomes para a Educação??? O que ele entende de Educação (mesmo tendo sido prefeito de Sobral e governador do Ceará)??? E o Edinho Araújo para a Secretaria dos Portos então???

          O que tenho a dizer é isso, que o ódio corrói a razão, pois nenhum deles sequer tomou posse ainda no cargo indicado e, portanto, não se pode fazer juízo de valor sobre ações que ainda não aconteceram. Mas, o sujeito tomado pelo ódio ao PT vai mais longe na ignorância apelando para a meritocracia, como se alguém alguma vez na história desse país tivesse se valido de tal prática em indicações políticas, fora um caso ou outro isolado.

          Fica claro então que, aos que odeiam a Dilma, ela poderia ter o poder de ressuscitar o NAZARENO e entregar a ele o Ministério da Fazenda (com aquele dom todo da multiplicação dos peixes e dos pães, multiplicado por mil), que mesmo assim ela seria criticada e chamada de terrorista aparelhadora do Estado por agasalhar em cargo público outro mentiroso vermelho (o que prometeu em vida para entregar em morte), pois o crítico não está ali para divergir racionalmente dentro de uma razão anotada, está ali para odiar incondicionalmente.   

          Se a presidenta entregasse o Ministério da Educação ao NAZARENO então, certamente haveria um motim de ódio contra o não confederado, pois lhe acusariam por ter levado os alunos para o Monte das Oliveiras e ter dado aula sem ter sido aprovado em concurso.

          Sugiro então aos que tem bom senso e por ventura estão se deixando levar pela campanha do ódio, que deixem o ódio por conta do Aécio, do Bolsonaro, do Levy, do Malafaia, do Lobão, do Olavão, do Danilo, do Roger e do resto da meia-dúzia que estão ganhando muito bem para disseminá-lo, e façamos um oposicionismo racional de ideias e argumentação lógica. Tem muita coisa errada para criticar e corrigir, não podemos perder uma crítica boa com uma argumentação ruim.

          Ódio só pelo ódio não se cria!!!

 

           



Escrito por LAMPARINA às 16h09
[] [envie esta mensagem
] []





SENHORES DO MERCADO

 

          Os que como eu têm cabelos brancos e algum interesse em entender um pouco de tudo o que acontece de implícito e explícito à nossa volta assistiram atônitos o governo neoliberal, capitaneado por FHC, implementar o maior desmonte estatal do mundo se valendo do apoio dos grandes grupos de mídia nacional e da ilusão programática da precarização do Estado que a grande mídia promoveu como sendo a única saída, a boia salvadora do Brasil.

          Venderam tudo e o Brasil não saiu do atraso, pois não era essa a intenção primeira. A intenção primeira era exatamente passar o elefante gordo para as ágeis e sedentas mãos privadas. Essas sim, embasadas na teoria Liberal de que o Mercado deve ser independente, se autorregular e, traçar suas estratégias e planejamentos de crescimento, seria a mola de propulsão da economia nacional.

          Temos visto que isso aqui também não funcionou, pois o poder adquirido pelo DEUS MERCADO tenta se impor sobre os demais, inclusive assistimos isso agora no recente processo eleitoral, onde o deus do dinheiro tentou de todas as formas influenciar na decisão democrática do eleitor brasileiro pressionando de todas as formas, inclusive na sua principal forma, a capacidade de intervir e decretar a inconsistência e o horizonte de caos econômico. Era a tsunami de terror econômico que ameaçava somente o governo da continuidade e azeitava com o óleo da calmaria um possível governo dos que decretaram o entreguismo desse poder ao Mercado.

          No outro parâmetro das vertentes, tivemos 2014 como a marca da maior crise hídrica do estado de SP, o estado símbolo da dinastia tucana e dos representantes dessa nova casa grande dos dias atuais, habitada pelos Senhores do Mercado.

          A grande mídia novamente foi convocada para blindar os neoliberais de SP e esconder a gravidade dessa crise hídrica, ação que rendeu ao governador Geraldo Alkmin a reeleição sem o desgaste da disputa de segundo turno. O DEUS MERCADO também deu uma forcinha e mesmo diante de todo o escândalo propagado na campanha eleitoral de que a SABESP, empresa de economia mista responsável pelo fornecimento de água, coleta e tratamento de esgotos de 364 municípios do Estado de São Paulo não investiu o necessário na modernização de um sistema de captação e tratamento que já havia sido apontado por estudos à necessidade desse investimento nos últimos 10 anos. O mais grave dessa falta de investimentos que resultou nessa crise híbrida que atingiu o povo de SP foi o fato de que os investimentos não aconteceram pelo simples fato de que a empresa precisava dar lucro, distribuir dividendos entre os acionistas e encher os intestinos do DEUS MERCADO. O rim do povo de SP que se f..., desde que as burras do mercado transbordem.

          Nem com toda essa especulação negativa sobre uma empresa de capital misto que aterrorizou a vida dos paulistas com a iminente falta de um bem indispensável - nunca dantes tendo faltado com tanta impontualidade nas torneiras bandeirantes, causou qualquer abalo nos papéis da SABESP nas bolsas.  O DEUS MERCADO só deposita seu peso onde lhe interessa.

          Na outra ponta estamos assistindo a grande mídia desovar todos os cadáveres que repousam na flor da terra na Petrobrás. Boa parte dos cadáveres estavam ali enterrados desde a era neoliberal e da primeira tentativa do governo FHC de decretar a precarização da Petrobrás e entregá-la aos urubus do mercado, como tentou por diversas vezes.

           Como os neoliberais não conseguiram decretar a precarização da Petrobrás devido sua grandeza e sua operacionalização, que independe da via política, agora novamente tentam entregá-la ao DEUS MERCADO via campanha de descrédito amplamente encabeçada pelos neoliberais, pela grande mídia e pelos fascistas do antipetismo, a nova roda de estepe manipulada pelos dois primeiros.

          A demonização da nossa estatal do petróleo não tem saída, não existem mecanismos capazes de obstruir a corrupção; o bicho-político é corrupto incorrigível e só a absorção do DEUS MERCADO poderá salvar “nossa” (que não será mais nossa) empresa de petróleo.

          O DEUS MERCADO aguarda os desdobramentos pra colocar sobre a nossa Petrobrás suas bênçãos, sua capacidade de gestão e sua honestidade a toda prova, assim como fez com tudo que colocou as mãos, transformando o que era lixo estatal em luxo privado no dia seguinte da passagem do bastão.

          A grande mídia fará o milagre e os neoliberais poderão voltar a povoar Paris sem terem o desprazer de por lá encontrar seus serviçais viajando em 10 x sem juros.

           Que nojo isso!!!

 

          



Escrito por LAMPARINA às 17h35
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 17h09
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 00h16
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 15h17
[] [envie esta mensagem
] []





CALÇA DE COURO

 

          Alguns dias atrás eu estava almoçando num restaurante em Grajaú-MA, quando uma pessoa se aproxima e pede para usar o saleiro que estava sobre a minha mesa. Sem ter me apercebido da sua entrada no recinto - coisa difícil de acontecer, pois tenho por hábito sempre me sentar em local onde nunca fico de costas pra ninguém e sempre com atenção em quem entra pela porta, dinâmica de risco de quem vive pelo mundo e sujeito a todo tipo de violência que hoje se está refém do Oiapoc ao Chuí -, autorizei o uso compartilhado ao requerente, que agradeceu e voltou para a grande mesa juntada onde ele almoçava com outras pessoas que davam muitas risadas e conversavam alto naquele dialeto nordestino que é quase um mandarim aos nossos ouvidos despreparados do sudeste. Passei então a acompanhar com os olhos o sujeito esquisito, pois além de cabeludo feito eu, parecia acabar de ter saído de uma longa sessão de alisamento por chapinha. Outro detalhe importante é que o sujeito esquisito usava uma calça vermelha de couro. Ninguém teria coragem de sair por aí usando uma calça vermelha de couro, a não ser que o sujeito fosse artista, pois aos artistas cabe todo tipo de excesso, no palco ou mesmo no cotidiano casual.

          Nas minhas andanças por aí me deparei muitas vezes com artistas e suas equipes, alguns muito badalados por fãs de momento e cercados por curiosos que não entendem que o artista é um cidadão comum, despertando curiosidades e quebrando a calmaria dos lugares.  Acho que eu e a Banda Calypso  somos campeões em quilômetros rodados, pois teve um tempo que nós encontrávamos muito pelo Brasil, quando a Joelma era ainda uma paraense bem jeitosinha e o Chimbinha tinha aquele topete descolorido, coisa genuinamente de artista, pois ninguém teria coragem de sair aí pelas ruas usando uma calça de couro com um topete descolorido daquele jeito.

          Certa vez encontrei em Exu-PE o finado rei do brega Reginaldo Rossi, um sujeito alto e bem esquisito,  também dentro de uma calça de couro preta, com um barrigão de motorista de caminhão já em estado terminal e as perninhas finas parecendo de sabiá.

            Bandas muito populares no circuito norte e nordeste como Calcinha Preta e Aviões do Forró puxada por aquele gordinho baixinho e aquela estonteante Solange, que é mesmo muito bonita dentro e fora do palco, é quase uma certeza de se topar em algum lugar em qualquer dia, pois o pessoal roda muito o Brasil de segunda a segunda também.

          Hoje em dia é fácil fazer sucesso e qualquer cantor de chuveiro que tiver a atenção despertada por um desses magos do mercado fonográfico poderá chegar lá, se tiver à assessoria necessária. Antigamente o artista mais popular começava por baixo e íamos acompanhando a escalada da carreira do sujeito à medida que o ônibus que o transportava ia se modernizando e chegava ao top do luxo com esses ônibus bidirecionais de quase 1 milhão de reais de hoje.

          O mercado se modernizou e percebeu isso, criando empresas que arrendam esses ônibus milionários para empresários e artistas desconhecidos, podendo assim o quase desconhecido chegar em grande estilo no local do show e se passar por uma marca milionária e consagrada, lógico, com o show vendido como se fosse realmente uma marca milionária, principalmente para médias e pequenas cidades, cujo interesse público turbinou esse mercado com os tradicionais superfaturamentos da moeda pública.   O empresário dá os 20 ou 30% para o pessoal da prefeitura e fornece aquela notinha caprichada de zero, e contrato assinado.

          Ninguém nunca ouvir falar de Rayonder & Rayoler, mas os caras chegam num bidirecional personalizado com a estampa dos dois como sendo uma marca de sucesso na carroceria do ônibus, e um show deles já pode ser vendido por 250 ou 300 paus. Aí é só tocar um sertanejo universitário ou um forró desses repetitivos e altamente dançante com acompanhamento de alto teor alcóolico num open bar, que ninguém nunca perceberá que o Rayonder & Rayoler sequer sabem cantar um atirei o pau no gato bem arranjado.

           Mas, voltando ao cabeludo chapinhizado de Grajaú, pelas características já declinadas eu desconfiei que ele fosse um artista, mesmo que meu pouco conhecimento na área não o reconhecera de imediato. O Brasil é muito grande e alguns artistas regionais são verdadeiros deuses. Quando o garçom veio me trazer uma água com gás que eu havia pedido, tomei a liberdade de perguntar quem seria aquele sujeito meio andrógeno da mesa ao lado – Tu não sabe quem é não??? É o Uérlei – me respondeu o garçom com aquele sotaque forte de maranhense da gema – De que planeta tu veio??? – dessa vez a pergunta veio dele, me crucificando por não conhecer aquela quase divindade – Tu deve ser paulista – sentenciou o garçom, já quase se igualando aos xenófobos sulistas liderados pelo príncipe da privataria Fernando Henrique Cardoso e seus despeitados extremistas, que perderam perdendo na última eleição, mas ainda não se conformaram com a derrota.

           Mesmo diante do esclarecimento tão profundo eu continuava sem saber nada, pois quem seria essa p... de Uérlei que eu nunca vi no Faustão, nem no Serginho, sequer no terrível Esquenta???  

          Terminei de almoçar, paguei a conta e saí pra fora. Nesse momento me deparei com um ônibus desses de alto luxo na porta do restaurante, e que ostentava a imagem do sujeito chapinhizado de calça de couro que eu acabara de conhecer via saleiro compartilhado. Ao lado da imagem gigante da figura do artista tatuada em toda parte do busão de luxo, os dizeres: Wesley Safadão & Banda Garota Safada.

           Guardei o nome para chegar em casa e procurar no Google (abençoado seja!!!) os dotes artísticos do tal Uérlei. E foi assim que descobri esse clássico popular do Rei da Balada: https://www.youtube.com/watch?v=Sr8njDebck4 . Mas tem muito mais, pois o acervo do rapaz é riquíssimo, talhado para o sucesso.

 

          Se tiver bebida free dá até pra decorar uns dois hits!!!



Escrito por LAMPARINA às 13h06
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 21h28
[] [envie esta mensagem
] []





VACA PROFANA

 

          O macaco come banana de forma tão mecânica que às vezes acaba sendo engolido por ela.

          Novamente estamos verificando isso na prática no caso do leilão do velho prédio onde já foi um dia o Laticínio Bom Dia e atualmente pertencente ao Laticínio Glória, um grande prédio de quase 4 mil m2, em área privilegiada da cidade, com acesso fácil e direto para a rodovia Euclides da Cunha, em local alto e plano, além de ser de fácil adaptação, pois tem um amplo galpão que servia ultimamente como área de estoque do leite longa vida e que pode virar facilmente tudo que se queira.

          Um segundo leilão se passou e o prédio não foi arrematado em leilão on-line. E para quem não sabe o que isso quer dizer (eu sei... E como sei, né urubus do Fórum???), isso significa que no terceiro leilão o prédio será arrematado podendo ter preço estipulado em até metade do valor mínimo inicial, que é de 1,3 milhão. Ou seja, é essa a hora dos compradores de vacas-mortas. Os tais “investidores” esperam esse momento da desvalorização judicial autorizada e obrigatória para investirem o rico dinheirinho num negócio bem rentável. Essa é a regra, muito clara e que legitima tudo em poucos minutos com prejuízos enormes para alguns e lucros absurdos para outros.

          Essa fase da liquidação é bem disputada e, “investidores” e seus “olheiros” (os que localizam e se certificam de que a vaca é mesmo morta) se debruçam sob a possibilidade de que a vaca esteja mesmo bem morta e sem nenhuma chance de ressuscitar na hora da marretada final no matadouro.

          Se alguém souber a resposta, que me digam por que será que a prefeitura pagou 1,750 milhão naquele prédio aonde foi o Celtas, medindo 2,131 m2, metade do que esse aí do Glória, na quadra de baixo, numa área de declive e que também teve que fazer investimento em adaptação???

         Melhor que ninguém me responda... Tenho medo de perder minha ingenuidade e acabar sendo queimado pelo pouco fogo da minha lamparina, assim como os macacos que estão sendo comidos por esta banana!!!

 

PS: Eu detesto repetir título de textos, mas nesse não teve jeito... Não encontrei nenhum título novo que justificasse a matéria com tanta justiça!!!

 

           



Escrito por LAMPARINA às 18h49
[] [envie esta mensagem
] []





MEDICINA PSICOGRÁFICA

 

          A vida é uma grande universidade da qual nunca conseguiremos nos graduar definitivamente e estaremos sempre - até o último suspiro -, sentados na sala de aula. Ela nos ensina (do jeito mais fácil ou do mais difícil) tudo e o tempo todo. Alguns aprendem mais rápido e outros o aprendizado é mais demorado, mas todos temos a capacidade de aprendizado.

          Os relatos a seguir são só parte da aula que já assisti e sem a pretensão alguma de repassar o conhecimento, pois este é individual e o aluno precisa estar aberto ao aprendizado para poder então recebê-lo.

          Eu nasci e me criei aqui pelas nossas ruas ainda em sua maioria cobertas pela boa terra da região e, no meu tempo crítico daquela jornada entre a adolescência e a juvenil idade não tínhamos todas essas liberdades que vemos os jovens hoje em dia tendo, como arrumar uma namorada e dormir na casa dela, ou vice-versa. Na matéria de educação sexual só haviam três formas de se obter os conhecimentos mais básicos, ou se conseguia juntar uns trocados pra assistir aula in loco numa das muitas casas do nosso baixo meretrício e nas chacrinhas que circundavam a cidade; ou se começava a olhar (di grátis) de forma terna e diferenciada às éguas dos velhos Marin e Cuenca nas chácaras perto do terreiro de casa; ou partia para a religiosidade e fazia mestrado abençoado na casa paroquial mais famosa das brisas.

          Nunca tive nenhum dom no trato equino, assim também como nunca apreciei o gosto da hóstia. O que me sobrava então era juntar os trocados para assistir aulas nas escolas rurais da região, e naquele tempo alguns efeitos desse aprendizado normalmente poderiam aparecer nos dias seguintes à aula.

          O sujeito sentindo aquela ardência na uretra e a dificuldade em urinar, não precisava ir ao médico para ter um diagnóstico definitivo. Era só procurar alguns dos antigos farmacêuticos das poucas farmácias que haviam naquele tempo, que o prático na medicina já ia logo aplicando aquela injeção dolorida e mágica, mais alguns comprimidos que você tomava em casa e na quinzena seguinte já poderia retornar à aula novamente acrescido da experiência vivida e das formas de não mais sentir aqueles efeitos terríveis da matéria reprovada.

          Chegar ao ponto da busca da cura era o terrível, pois a vergonha era imensurável, já que a cidade era pequena e todo mundo se conhecia ou sabia quem você era. Tinha um velho farmacêutico numa das nossas farmácias aqui da rua Amazonas que era expert em educar os desatentos alunos desse tempo, pois o menino chegava lá todo envergonhado, com o balcão cheio de gente, tentando requerer um atendimento mais no particular lá do outro canto do balcão, e o velho farmacêutico professor dava corda. Quando o menino conseguia expor a situação, ele dava um grito pra todo mundo ouvir – O quê... Você tá com o pinto ardendo e saindo secreção do canal da urina??? Isso é muito grave... Se não tratar isso logo você vai perder esse pinto (como se tivesse jeito de crescer outro)!!!

          O velho farmacêutico, além de um excelente profissional em farmácia era um grande professor, que da sua forma simples e se aproveitando da sua experiência e do seu trato com a juventude, curava e depois ensinava os caminhos da prevenção, sempre recomendando a visita de retorno na semana seguinte para avaliar o efeito das drogas e aplicar mais uma lição de vida no aluno.

          Eu acredito ser bom profissional no que faço, não por eu assim querer ser ou por pseudo-atribuição, mas pelo meu histórico. Eu trabalho num serviço de alto risco, que requer muita atenção e cuidados com tudo a minha volta e, nos meus muitos anos de profissional jamais fui o responsável por qualquer dano material ou físico a alguém. Eu erro, e muito, mas tento aprender e corrigir meus erros para minimizar seus efeitos. Tenho muitas experiências além da minha bagagem, pois tive a sorte (ou azar) de ser protagonista de muita coisa, como estar sob a mira de um bandido me chamando de bandido e querendo se apropriar do fruto do meu trabalho (quer mais pressão psicológica do que essa??? Só mesmo quem já passou por isso sabe o que é), além de dois acidentes muito graves com vítimas fatais. Acredito que todo mundo nasça com um dom especial e uma aptidão nata para cada qualificação e, quem se encontra com esta aptidão durante a vida será o bom profissional. O que não se encontrar com ela será o comum, o que faz determinado trabalho pra ganhar a vida e só.

          Cheguei de viagem ontem com uma irritação na virilha típica dessas causadas por esses fungos e bactérias que se manifestam mais facilmente no período de verão (as famosas cafubiras, picumãs, tum tum e etc.). Se fosse na minha meninice a minha avó fazia logo um preparado a base de casca de angico verde no álcool com semente de pinhão e era passar umas duas vezes que o problema estaria resolvido. Algum tempo atrás também daria pra correr na farmácia mostrar o problema para um bom profissional do setor e certamente ele daria o nome da cura. Mas hoje, infelizmente, pouco se consegue comprar em farmácias sem a receita médica e diante desta constatação, só me restou como saída eu me valer da minha cota do melhor e mais caro plano de saúde do mercado, o SUS. Lá pela uma da manhã, com a certeza de não pegar aquela fila básica de atendimento me dirigi ao UPA local e pimba, acertei em cheio, estava completamente vazia a unidade, apenas com um senhor que acabara de ser atendido e esbravejava com a demora do sistema de ambulância que o levaria de volta pra casa e, eu e outro rapaz que fizemos o procedimento burocrático inicial e aguardávamos o atendimento. Mesmo assim só consegui ser atendido mesmo às 01:40 (normal, pois dá porta pra dentro ninguém sabe o porque da demora e qualquer explicação é válida). De posse das informações preliminares dispostas no papel, o profissional médico e possivelmente também um aprendiz de Chico Xavier se armou da caneta e do papel timbrado da receita, colocou a mão na testa naquela posição típica de psicografia e me sentenciou com uma carimbada sem sequer olhar para a minha cara, que dirá examinar ao menos in loco a situação e prováveis evidências da queixa clínica que ali me levou para tomar o seu precioso e caríssimo tempo.

          Agradeci pela receita e voltei pra casa pensativo, pois, se era um horário tranquilo, sem ninguém para perturbar o plantão ou congestioná-lo – Que  tipo de medicina psicográfica é essa que as universidades estão formando atualmente seus alunos??? Segui pensando no tanto de barbaridades e descasos que essa nova medicina psicográfica deve causar num dia daqueles de plantão difícil, cheio de alcoolizados do Carnavotu ou mesmo numa dessas crises virais que diagnosticam atualmente de viroses disso e daquilo.

          Querem saber a melhor??? Fui na farmácia comprar o remédio receitado e o profissional da farmácia falou que aquela fórmula não era exatamente a mais eficaz do mercado para o problema citado. Ele me recomendou outro que custou menos da metade do preço. Como o nível de confiança no atendimento recebido pelo médico do UPA foi zero, acabei cedendo mesmo ao apelo financeiro do balconista da farmácia.

          Olhando aqui na receita o nome do profissional da medicina e psicógrafo no tédio do plantão, percebi que o sobrenome tem familiaridade com uma ilustre dinastia de médicos da região, reforçando ainda mais a teoria que tenho de que medicina no Brasil nunca foi dom e sim herança de família.

          Sem querer aqui interferir nem menosprezar o preparo do jovem médico, mas me amparando no discurso inicial da universidade permanente da vida, espero que ele leia esse texto e que transforme essa falha dele aqui apontada numa crítica construtiva que o conduza a nunca mais abusar assim da nossa paciência e do nosso dinheiro público, pois ele não está ali servindo voluntariamente. Se ele fosse um velho médico eu nem estaria aqui perdendo meu tempo com isso, pois burro velho não aprende marchar e já tá cheio de barda.

 

           Como de tudo na vida dá pra se tirar uma lição, deixarei aqui por considerações finais um dos ensinamentos valiosos da minha professora de sexo dos longínquos tempos da minha adolescência, uma profissional das melhores do ramo – Chupar xiririca é igual chupar manga, se você não gostar realmente é melhor nem começar, pois tem que começar e ir firme até o fim. Se ficar se incomodando com a lambança e ficar parando toda hora pra tirar fiapo dos dentes, nunca chegará ao caroço!!!



Escrito por LAMPARINA às 18h17
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 11h59
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]