Meu perfil
BRASIL, Sudeste, VOTUPORANGA, VILA MARIN, Homem, de 36 a 45 anos, Zulu, Azerbaijani, Tabacaria, Animais, fazer a cobra fumar
MSN -




Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Facebook do Lamparina
 Blog do Lamparina (antigo)
 Twitter do Prefeito Marão Filho
 Twitter do Lamparina
 Dcionário Priberam da Língua Portuguesa
 F. Pepito Verbos
 T.C.E
 T.R.E-SP
 T.S.E
 Câmara Municipal de Votuporanga
 Prefeitura Municipal de Votuporanga
 SAEV
 UNIFEV
 Portal Transparência Brasil
 Blog do Azenha Vi o Mundo
 Carta Capital
 Jornal A Cidade
 Jornal Diário de Votuporanga
 Conversa Afiada do PHA
 Blog do Eduardo Guimarães
 Blog Escrevinhador do Rodrigo Vianna
 Blog do Professor Hariprado
 Blog do Josias de Souza
 Blog do Luciano Viana
 Observatório da Imprensa
 Óleo do Diabo (Gonzum)
 Blog do Paulo Cosmo
 Blog do Ricardo Fujiro
 Portal Vermelho org.
 Jornal do Poeta Gibim
 Blog do Miro
 FBI
 Blog da Dilma
 Terra Goyazes
 Criador de Saci
 Amigos do Presidente Lula
 Blog da Irmã Cleycianne
 Blog do Celito Garcia
 Blog do Manuel Ruiz
 Receita Federal (consulta de CNPJ)
 Blog do Virgulino
 Refluxo News
 Pedagiômetro
 Votulandia
 Blog do Cardosinho
 Blog do Juliano Matos
 DOMíNIO PÚBLICO
 trezentos
 Blog do vereador Osvaldo Carvalho
 Blog do Fofoqueiro
 Uma vida sobre duas rodas
 Blog do vereador Meidão
 jornal O Jornal
 Votunews
 Diário Web
 Receita - Consulta CGC




BLOG DO ROBERTO LAMPARINA
 


GRACILIANO DE PINDA

 

          Quem assistiu a reportagem do Fantástico de 03/08 (confira novamente aqui: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/08/moradores-do-estado-de-sp-mudam-rotina-e-sofrem-com-falta-dagua.html )  e assistiu a desta noite deve ter percebido a diferença de como se dar a mesma notícia de duas formas diferentes.

          No dia 03, com eleição na porta, o programa buscou provar que o MPF de SP não tinha motivo algum para obrigar o então governador Geraldo Alckmin a decretar racionamento de água em SP, já que a situação precisava parecer sob controle, tanto do governador como da SABESP.

         No desta noite a verdade se revela como uma mágica e depois de até a TV Árabe Al Jazeera noticiar que em Itu tem bairros com 12 dias sem chegar água nas torneiras. Neste Fantástico de domingo parece que a informação nos chegou pela programação da nossa principal tevê pública com ares de novidade: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/10/flagrantes-mostram-sofrimento-dos-moradores-com-seca-que-atinge-sp.html .

          Agora a Rede Globo já pode falar da crise de abastecimento d’ água, pois já reelegeu o Graciliano Ramos de Pinda para mais 4 anos.

          Como poderemos confiar numa tevê pública que se vale da concessão pública para blindar candidatos da sua franca preferência???

          E, estamos aí com o segundo turno das eleições presidenciais, com a mesma Globo trabalhando francamente na blindagem da campanha de outro tucano. Imaginem se eles novamente ganharem e já acostumados com a blindagem parceira dos midiáticos sócios em governo???

          Novamente voltaremos aos tempos em que nada se torna público e quando alguma coisa sorrateiramente escorre ao controle, táticas de mídia tornam o assunto desgastado e sem importância, enquanto eles carregam os nossos recursos públicos pelas portas dos fundos do poder.

          Outra vez, e novamente de posse desse embasamento claro, apelo para o bom senso das pessoas lúcidas e esclarecidas, para que pensem no que lhes seja mais transparente, um governo que é esmiuçado diuturnamente por uma mídia nitidamente contrária e adversária, ou um governo em que esta mídia está encarregada de compor blindagem midiática.

 

          Eu prefiro o governo que tenha a mídia como adversária!!! 



Escrito por LAMPARINA às 23h51
[] [envie esta mensagem
] []





A QUEM SERVE À MIDIOTIZAÇÃO???

 

 

          Estamos assistindo passivamente a pior campanha política de todos os tempos no Brasil, pois a intenção única dos que tentam apear de todas as formas o PT do governo é conturbar e confundir o eleitor mais humilde e desconhecedor dos fatos que já estão devidamente anotados na história.

          A campanha do Collor em 89 se baseou no descontrole econômico advindo de várias tentativas e planos fracassados de conter a inflação no governo Sarney. Também foi determinante uma reportagem com um grande escândalo, que nem era na verdade um escândalo, mais sim um projeto de produção agrícola que não previu adequadamente sua grandeza, tendo a campanha do Collor tratado de anunciar isso politicamente com viés escandaloso.

          Quem se lembra desses tempos deve se lembrar do Collor nas dependências da Cooperformoso, do Projeto de Irrigação do Formoso do Araguaia-TO, naquele recém-criado estado do Tocantins, babando e gritando horrores (daquele minha gente de punhos trancados que ele gostava tanto...) sobre pilhas e mais pilhas de arroz se perdendo no tempo sem ter onde estocá-las, ainda repetindo também aos berros – Enquanto o povo passa fome, milhares de toneladas de arroz estragam aqui no sol e na chuva!!!

          Eu estava lá, não nesse dia, mais em muitos outros, pois nessa época trabalhei na safra do Projeto Formoso e transportávamos arroz dali que abastecia os estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Dali não saia um grão ao menos que viesse em direção ao Sudeste, pois o arroz ali cultivado era de qualidade inferior e o consumidor do Sudeste já estava acostumado a consumir o arroz agulhinha tipo 1 dos Tio do Sul, que na verdade não é do Sul e sim 90% importado do Uruguai, somente batido ao pouco do que sobrou da produção gaúcha e catarinense, e empacotado com a marca dos Tios, que dependendo do Tio, pode valer de 4 a 5 reais por pacote de 5 kg, mais do que outro Tio, mesmo sendo os dois do mesmo tipo e da mesma fonte, à produção subsidiada do Uruguai.

          Mas, voltando ao projeto Formoso, era uma cooperativa de produtores que foi financiada com dinheiro público e que não conseguiu prever corretamente sua real capacidade de produção, por isso, com uma supersafra naquele ano de 1989, não tendo capacidade de estocagem na região, pilhas e mais pilhas de arroz foram estocadas no tempo e cobertas de lona preta, tendo parte desta superprodução se perdido em meio aos ventos de Julho e Agosto, no descobrir das lonas. Isso em ano eleitoral, foi como jogar um boi sangrando no Araguaia.

          Para quem não conheceu o projeto, foi algo fabuloso e revolucionário. Eu fui muitas vezes lá, ora para levar fertilizante, ora para carregar arroz e era algo muito grandioso para a época. Potentes motores alagavam os quadros de produção e o plantio era feito por aeronaves, pois era impossível o plantio na terra alagada. Quando o arroz estava em tempo de colheita, o alagamento dos quadros era cessado e entravam as colheitadeiras de esteira para o trabalho final, isso lá em 89 era algo bastante revolucionário na produção em grande escala, pois esse modelo de produção em alagamento já era muito utilizado nos banhados naturais do sul, mas não nessa escala de produção em áreas tão grandes e em produção contínua o ano todo, quando um quadro estava sendo colhido, imediatamente a saída das máquinas, ele já era preparado para novo alagamento e novo plantio.

          O Collor também se valeu de uma vergonha da região, pois a BR 153 nessa época encontrava-se intransitável entre os trechos de Porangatu-GO até Gurupi-TO, com o trecho mais crítico entre Alvorada-TO e Gurupi-TO.

          O Collor foi lá de microfone em punho e mostrou cada buraco desses 200 Km de Porangatu até Gurupi e ainda promoveu o sensacionalismo de um projeto importante de produção que subestimou sua capacidade de produção e logística.

          Depois desses dois escândalos dramatizados no limite artístico do competente ator Fernando Collor de Melo, foi só a Globo editar o último debate com as denúncias sobre a filha bastarda do Lula, e o Collor seria eleito nosso presidente pé quente pelo voto da tradicional família brasileira, diria o Levy.

          Com essa histórica real e sem nenhuma vírgula de ficção, quero chamar a atenção para essa nossa atual campanha, pois ela não trouxe absolutamente nada de novo, nem sequer um escândalo programado, desses que acabei de citar. É só o sujo falando do mal lavado. É impressionante como o brasileiro é um midiotizado (idiotizado pela mídia), pois alguém que tem passado efetivamente irrefutável poderia falar em combater a corrupção, mas o PSDB não pode, pois é a sigla mais corrupta do país.

          A campanha desse ano planeja somente mobilizar a geração que nada viu e nada conhece - que compartilha boçalidades como se fatos fossem, que sequer se dão ao trabalho de conferir se aquela trollagem massificante tem algum fundo de verdade mínimo -, tudo no sentido incitá-los ao ódio contra o PT, pois somente via canalização de um ódio sem sentido é que os inimigos do Brasil voltarão ao poder via idiotização dos incapazes. Não são incapazes no sentido de não ter capacidade, são incapazes no sentido de não procurar a verdade dos fatos e servirem aos interesses massificadores, tudo honrado pelo sacro direito de liberdade de expressão. Eu até li uma boçalidade tão grande e sem sentido na página de um local que começa assim – “Eu tenho direito garantido de falar o que bem quiser...” e despejou todo seu espasmo intelectual como se no banheiro estivesse. Esqueceu-se somente de embasar a montanha de m... em algum, um único que seja, contexto histórico que lhe assegure o tal direito auto-evocado do início.

          O bom debate e a busca pelo pacto com os eleitores entre os candidatos se perdeu. Da mesma forma que o debate popular dos prós e contras virou um mar de idiotices e ofensas mútuas. Eu tenho visitado páginas e mais páginas na internet, vendo montagens grotescas com falas impossíveis. Dificilmente vejo debates movidos pelo respeito e pelas ideias de pró e contra, civilidade que deveria existir entre os cidadãos de bem, que, qualquer que seja a sua opinião, deveria respeitar a do seu próximo em primeiro lugar, dando-lhe o privilégio do bom combate, saudável e democrático.

          Que pena que caminhamos no sentido contrário ao da DEMOCRACIA!!!

 

              



Escrito por LAMPARINA às 13h50
[] [envie esta mensagem
] []





AGORA É SÉRIO

 

          Vamos lá então...

          Recomeçou tudo de novo, e agora sem máscaras... Sem esse negócio de “novo” que nunca convenceu ninguém, além dos inocentes que não conhecem nada de história do Brasil e muito menos de política.

          O novo se mostrou tão velho que nem às essências mais requintadas da Amazônia sustentável da Natura conseguiram esparramar o cheiro ruim que vinha do jatinho fantasma que matou o Dudu, e do caixa..., digamos alternativo (pois se falar que o Dudu, Marina e PSB fizeram caixa 2, terão que ir tudo lá pra junto com o Zé Dirceu, Genoíno e escumalha petista, menos o Dudu é claro...) que o Dudu tinha feito para suas pretensões eleitorais.

          Agora, sem o papo do novo, nos atemos realmente ao que sempre esteve em disputa, à polaridade entre os governos exercidos pelo PSDB de FHC e o PT do Lula, sob a atual condução da disputa a cargo de Aécio e Dilma.

          Por todos os escândalos de corrupção que vimos acontecer no governo FHC e, foram tantos e envolvendo tantos bilhões que nunca foram devolvidos aos cofres públicos, sequer foram investigados pelas instituições, pois a mídia parcial ao invés de cobrar (como fez no governo Lula/Dilma) blindava, como ainda faz no governo tucano de SP; pelo histórico criminoso das privatizações e pela inércia governamental que não permitiu avanços ao Brasil, só dirigindo a economia de acordo com as regras ditadas pelos nossos credores, entre eles a mão pesada de padrinho malvado FMI (e sabemos que cão que dois donos tratam é certeza de morrer de fome) que belisca o apadrinhado quando ninguém está olhando; é por todos esses fatos históricos e do conhecimento dos que acompanham atentamente a vida política e administrativa  do país que, se é por optar pela permanência de um dos dois velhos modelos que já conhecemos, prefiro o modelo apresentado por Lula e Dilma, pois produziu avanços inegáveis.

          Eu não quero para o meu povo um governo que, para satisfazer as necessidades de muitos lucros do Mercado e dos banqueiros (eles estão sorrindo de orelha a orelha esperando a volta da mão amiga da economia ditada pelo Armínio nauFraga, aquele que diz que o salário mínimo subiu muito...) mata sua gente de fome; para distribuir dividendos aos acionistas da Petrobras (que segundo FHC já afirmou, não é contra sua privatização) sobe os preços dos combustíveis todo mês e impede à circulação de riquezas num país continental que não possui ligação ferroviária a altura da sua grandeza; eu não quero na direção do meu país um governo que precisa ser blindado pela grande mídia que lhe é francamente favorável e nunca escondeu isso.

          Corrupção sempre existiu e sempre existirá, portanto, prefiro o governo que está sempre sob vigilância ao que esteve sempre blindado.

 

          Portanto, se é para escolher um dos velhos modelos, eu voto Dilma 13!!!



Escrito por LAMPARINA às 10h22
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 16h16
[] [envie esta mensagem
] []





TROFÉU TURISTA LEGISLATIVO DAS BRISAS

 

          Depois do sempre retumbante sucesso que foi se tornando o prêmio mais disputado da edilidade local, o “TROFÉU FERRADURA DE OURO”, editado anualmente pelo Blog do Lamparina para premiar democraticamente o melhor trabalho legislativo do ano, premiação maravilhosa, que em sua última edição foi papada com muito mérito pelo nobre edil ANDRÉ DA TURA, agora o Blog do lamparina também lança o prêmio “TURISTA LEGISLATIVO DAS BRISAS”, prêmio este que será entregue ao nobre vereador que mais despesas de viagens acumular no período.

          O Blog do Lamparina fechou as contas de 2013 e 2014 até os últimos lançamentos contábeis disponibilizados pelo transparência da Câmara, e se o prêmio já estivesse valendo teríamos o seguinte resultado disposto no quadro abaixo.

          Como o nobre edil vencedor acumulou muitas milhas legislativas turísticas nos representando em incansáveis viagens oficiais e, estando certo de que deve ter sobrado um quarqué da apresentação dos gastos dessas viagens, o Blog pedirá gentilmente ao ganhador que reverta parte dessas sobras de viagens para que possamos adquirir à premiação do evento.

           Evento sem premiação é igual jogar baralho e sinuca sem valer uns tostões, não tem a menor graça!!!

 

PS1: Apenas alertando aos demais participantes do concurso, gostaria de chamar a atenção para o fato de que, se a premiação já estivesse valendo, o nobre Edil Edilson do Santa Cruz teria papado o prêmio duas vezes, haja vista que teria sido o campeão de 2013 e também o de 2014. Vamos lá pessoal... Ainda dá tempo de uma reação. Se empenhem mais e peçam novos empenhos na boca do caixa!!!

 

PS2: No site transparência não tem valores lançados na conta do nobre edil Osmair Ferrari. Gostaria da confirmação oficial desta informação antes de tecer qualquer tipo de comentário, mas se esta realidade for confirmada, saiba o nobre edil Osmair, que Vossa Excelência será eleito o “mala vazia” (para que eu não seja molestado judicialmente pelo quadro do Fantástico do irmão do Oscar) do concurso, pois sequer teve capacidade de gastar um trocadinho do povo numa andança justificada qualquer. Envergonhe-se disso e será punido com uma penitência. Ajoelhe-se em 2 tampinhas que Vossa Excelência deve ter guardado daquela tubaína caipira homônima (eu gostava de maçã) e reze para São Cristóvão, o santo dos viajantes!!!

 

 



Escrito por LAMPARINA às 16h12
[] [envie esta mensagem
] []





CANDANGOLÂNDIA DAS BRISAS

07/10/2014 

CANDANGOLÂNDIA DAS BRISAS

 

          Numa noite em que a síntese dos pronunciamentos declinados pelos senhores edis foi rotear profunda tristeza pela reprovação do nosso deputado João Dado nas urnas, o lamento quase choroso se iniciou com o nobre edil Meidão e percorreu quase todos os que ocuparam a tribuna, sendo que alguns até passaram do ponto ao eleger a atual legislação eleitoral e até mesmo o coitadinho do Palhaço Tiririca como o carrasco do grande, do preparado, do culto, do magnânimo e um dos mais bem conceituados parlamentares do Brasil. Senti correr uma lágrima no cantinho dos olhos do nobre Meidão ao destacar os muitos feitos do Dado na cidade, terminando seu pronunciamento com uma frase emblemática e que certamente o conservador Levy, estando a cargo da censura, não aprovaria se dita no seio da “tradicional família brasileira”, pois o Meidão elogiou muito à penetração (sempre é bom lembrar que dois iguais não procriam...) do Dado (talvez querendo enaltecer sua influência) nos meios políticos e administrativos da capital federal. O Eduardo Jorge certamente diria um - Eu quero!!!

         O nobre Douglas Lisboa também descabelou o palhaço Tiririca pelos novecentos e tantos votos obtidos junto à plateia generosa da terra dos ventos, sendo que possivelmente o abestado nem saiba onde fica este rincão perdido (onde o vento faz a curva e reboja todos os malandros no cantuá das brisas), mas também pediu providencias ao Executivo para colocar película escura protetora nos vidros do Poupa Tempo, que segundo o nobre edil, o sol estaria cozinhando os funcionários. (bom, como já estamos acostumados com os projetos milionários contratados pela prefeitura e, depois o Marcelino Poli e a equipe dele tem que correr no lugar com o maço de pregos e uma lata de cal pra dar o acabamento à brocha, amanhã já tem serviço garantido na Secretaria da Cidade, mas ao invés do cal, melhor levarem uma lata de tinta preta e dá uma demão que fica quase igual película e bem mais barato – Áhhhhh, fácil e barato assim não tem graça!!!)

         O nobre André da TURA, talvez o filho mais órfão do mandato do deputado Dado, também lamentou muito a perda e por certo deve ter chorado em casa, pois trazia os olhos ainda marejados pela dor, porém canalizando o rancor pelo desmame abreviado das boas tetas da República, tratou logo de produzir algum faturamento na noite dizendo não entender a condução da Secretaria de Educação, onde segundo ele nos informou uma mãe peregrina há 2 meses na repartição solicitando vaga em creche, sem ter sido a demanda atendida. Reclamou muito também dos uniformes que ainda não foram distribuídos numa escola da rede municipal, sendo que o ano letivo já está por terminar. Encerrou sua fala repudiando uma declaração da assessoria municipal na mídia, sobre os apontamentos feitos por ele na semana passada (aquele dos brinquedos de madeira que estão em péssimas condições e a praça ainda nem foi inaugurada), colocando em risco a segurança das crianças. Na declaração da assessoria, o brinquedo teria sido supostamente danificado por vândalos. O nobre André, visivelmente indignado, convocou os responsáveis para que tomem conhecimento do problema estrutural do material utilizado e notifiquem a empresa  para ir lá arrumar aquela porcaria.

         O nobre Eliézer Casali também externou seus lamentos pela tragédia federal que se abateu sobre nós, criticou o sistema eleitoral e atribuiu a este o fracasso do filho da terra na candangolândia das brisas (nosso endereço oficial na boa terra das verbas públicas federais). Depois andou distribuindo especulações depreciativas sobre a conduta parlamentar do segundo membro mais votado do parlamento nacional (espero que o Tiririca não seja eleito presidente da Câmara e tente fazer uma manobra qualquer para se perpetuar no poder... Acho que o nível do seu palhacismo não chegaria a tanto, chegaria?!?!?!). Passou ainda recado ao povo inquieto com as nossas ruas esburacadas nos quatro cantos da cidade, que aquele financiamento de 8 milhões que a Casa deu alvará pra prefeitura executar obras de recape já está na bica de começar a primeira etapa.

          O nobre Jura veio depois e ressuscitou o debate sobre emenda que possibilitará à reeleição na Casa, dizendo que a sangria moral continua aberta enquanto o nobre presidente não colocar o projeto em votação, ou retirá-lo de vez. Disse que existem burburinhos sobre possíveis tentativas de articulação na busca de apoios para aprovar matéria, sendo que ele está buscando entre os pares as 10 assinaturas necessárias para que o projeto seja votado na próxima sessão e, que já conta com 7. Depois sugeriu ao colega Edilson do Santa Cruz que retirasse o projeto que seria votado na noite (o da proibição dos postos de lavarem carros nas bombas de abastecimento), para que seja feito um estudo mais amplo e abrangente deste projeto, o que causou depois um certo clima pesado na Casa, já que o nobre colega defendeu com afinco o seu projeto no exato modelo como foi apresentado.

          O nobre Osvaldo, entre outras coisas, nos informou de nova paralisação em protesto pela situação caótica da estrada do 27. (recebeu dos nobres pares muitas parabenizações pela disputa honrosa por uma cadeira na ALESP, sendo que, algumas soaram como verdadeiro consolo e outras, nitidamente como um – Vaaaaaai trouxa...Tá achando que tem peito de aço pra trombar de frente contra a grande montanha dos ventos???  O certo é que o Osvaldo Carvalho nos encheu de orgulho por ainda termos alguns poucos políticos que acreditam no poder do convencimento e das ideias, não se fiando na criminosa e hoje comum prática eleitoral baseada na intimidação do poder econômico. Errado é quem, motivado por favorecimentos irrisórios, medíocres e efêmeros, se valeu do nosso direito democrático para eleger um ficha pau de galinheiro para nos representar. Mas, cada povo tem o governante que merece, e pelo jeito temos merecido o que há de pior no ramo)

          No projeto mais importante da noite, o do nobre edil Edilson que trata da proibição dos postos em lavar veículos na bomba, depois de ampla defesa do nobre edil sobre sua “criança”, foi à apreciação dos pares e deu empate em 7 a 7, tendo o presidente Eliézer que externar seu voto de minerva pela aprovação do projeto (alguns presentes murmuraram que não poderia ser de outro jeito, já que o nobre Edilson é um dos 5 escolhidos que assinaram em favor da tal emenda da perpetuação). Destaque para a explicação de voto do Meidão, que entre outras coisas, se valeu da sua experiência juvenil de ex-frentista (lá no tempo em que Noé encostava no posto do Onofre de Paula para abastecer a arca e aproveitava para dar um trato na máquina...) para dizer que aqueles trocadinhos que os frentistas ganham como caixinhas na lavação de carros é muito importante e isso será perdido. Justificou também que o cliente do posto perderá o benefício de lavar o carro na bomba como cortesia do posto, mas lá no lavador continuará sendo cobrado os R$ 10,00 pela passadinha de água.  

          Nas considerações finais da noite, gostaria de clinicar nos sintomas antidemocráticos apresentados pelos senhores edis na noite, elencando a vitória do Tiririca e do Russomanno como a catástrofe que determinou o fracasso eleitoral do nosso conterrâneo João Dado. Isso dito por um cidadão comum em descrédito e desabafo, já é um sintoma que desperta certos cuidados no monitoramento da doença, mas, dito por vários membros do nosso Poder Legislativo, aí o caso se agrava, pois adquire ares de epidemia. A democracia não se flexibiliza ao que nós acreditamos intimamente poder moldá-la. Ela é uma peça acabada, que pode sim sofrer muitas transformações no decorrer do percurso, desde que também seguindo o modelo democrático regrado para a reforma. Ou seja, a democracia não deixa de ser democracia porque nossos desejos individuais ou coletivos de um grupo porventura não se sentem momentaneamente amparados pelos seus ditames.

          Ficamos lá assistindo o revezar dos nobres edis e o queixume pela vitória democrática absolutamente límpida do palhaço Tiririca e do advogado do consumidor Celso Russomanno (que até nem conseguiu obter a meta prevista pelos caciques do PRB, que era de 2 milhões de votos). Não ouvi nenhum dos senhores edis tendo coragem para ir ao púlpito e reclamar da vergonhosa campanha que tivemos na cidade, onde um candidato FICHA SUJA se valeu da opressão do poder econômico aos olhos de todos para praticar campanha massacrante. Também não ouvi nenhum edil em tribuna reclamando do vergonhoso episódio dos 102 mil encontrados pelo raio x da PF em Congonhas, em poder de um cidadão, que passeava com a graninha numa mala e foi incumbido de entregar alguns cheques de campanha ao pelego do deputado estadual Bruno Covas (PSDB) na região de Rio Preto. E para terminar minha ilação sobre este nosso lastro democrático individual avantajado, não vi e nem ouvi ninguém ir para a tribuna na noite para lamentar a nossa grande perda no senado federal, pois perdemos um senador de vida pública irretocável (mesmo que já beirando a senilidade e vestindo a cueca por cima da calça), Eduardo Suplicy, e ganhamos um presente de grego lamentável, com passado político sombrio e sinistro, que pesa contra si inúmeras passagens dignas de vergonha ao povo paulista. Só algumas: Vasta literatura sobre suas negociatas com amigos e parentes no vergonhoso episódio do que ficou mundialmente conhecido como “Privataria Tucana”; participação vergonhosa na montagem de um engodo midiático para provocar reviravolta eleitoral em 2010, que ficou publicamente conhecido como “bolinhagate”, àquela trapaça protagonizada pela bolinha de papel que teria causado traumatismo craniano (segundo os especialistas contratados pela Globo para analisar as imagens) em sua reluzente careca; indução ao ódio religioso também na campanha de 2010 se valendo de discurso hipócrita sobre aborto, sendo que depois seria desmascarado por uma gravação onde sua esposa conta em sala de aula que teria feito um aborto sob a tensão do momento difícil da família no autoexílio no Chile.

          No resumo da ópera, Votuporanga perdeu seu captador máximo em Brasília (fato realmente lamentável, porém democrático), tendo sido um palhaço reeleito com mais de milhão de votos para nos representar lá (quer mais democracia do que isso???) e outro foi eleito para nos representar no Senado. A diferença é que o palhaço Tiririca não tem contra si um histórico de negociatas e práticas políticas que nos lesaram em milhões. O palhaço Tiririca é só mais um no meio de muitos lá em Brasília. O palhaço Serra é o palhaço perigoso, pois este é um palhação de mãos leves.

          Então caros concidadãos, ou nos embasamos na democracia como sendo o direito legítimo representado pelos que se submeteram ao conjunto pré-estabelecido de regras, ou ficaremos cada um evocando o direito democrático e alargando seus lastros e suas fronteiras ao nosso bel prazer!!!

 



Escrito por LAMPARINA às 10h02
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 13h00
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 23h47
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 22h26
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 02h23
[] [envie esta mensagem
] []





O CACETE DE PRATA

 

 

          Como pudemos assistir no debate da Globo que terminou agora pouco, novamente o espaço não foi aproveitado para a apresentação de propostas e debate de ideias por parte dos candidatos, tomando novamente o rumo das acusações mútuas entre os dois partidos que polarizaram a disputa pelo poder nas últimas décadas, PT e PSDB, e a fragilidade visível das improváveis propostas pregadas como possíveis pela Marina Silva, que os dois candidatos da polarização também se empenharam no desmonte.  Talvez por isso cheguemos à conclusão fácil de que no debate da noite nada se construiu. E, assim sendo, também fica fácil de presumir que a vencedora do debate foi a Rede Globo, pois colocou o espaço a serviço dos dois candidatos que estão numericamente atrás (além dos outros candidatos que assumidamente tomaram postura na noite, como o Everaldo, que claramente se posicionou como quarterback do Aécio), para que executassem o massacre final sobre a Dilma no tema corrupção na Petrobras, e tentar com isso mudar o rumo eleitoral.

          Ao bom observador, um grande deslize cometido pelo candidato Aécio poderia ter lhe custado pontos preciosos na reta final, por puro desconhecimento. Ao afirmar que o atual governo não mudou a matriz energética e continua se valendo da energia suja de termoelétricas para complementar o sistema, pra sorte dele esta afirmação veio já na tréplica, não tendo a Dilma tido oportunidade da resposta, que certamente teria vindo, pois ela tem amplos conhecimentos do setor energético e sabe que quem foi o mentor que determinou esta mudança da matriz energética quando construiu o Gasbol  para trazer o gás da Bolívia e alimentar as termoelétricas construídas no governo FHC como complementares e estratégicas - e isso já foi amplamente divulgado na mídia e inclusive foi tema de perguntas em eleições passadas  -, tendo o FHC já assumido a criança e dito publicamente ter sido persuadido pelo seu Ministro de Planejamento a época, José Chirico Serra a enveredar por este caminho. Ou seja, quem mudou a matriz energética investindo em termoelétricas foi o governo do PSDB. O PT apenas seguiu o caminho traçado. Diversificou a matriz construindo alguns parques eólicos que não estão com redes de integração ao sistema distribuidor complementadas, grave problema de gestão, pois as redes geralmente começam a ser construídas no mesmo momento da obra geradora, pois quando esta estiver em condições de geração à rede já estará com potencial de transmissão para início imediato.

          A escorregada de falta de conhecimento e demagogia do Aécio não foi à única, tendo os candidatos em geral se valido de muita balela para dizer que farão coisas que dificilmente (quase impossível mesmo fazer em 1 ou 2 mandatos, que seja) conseguiriam realizar da noite pro dia, como altos investimentos em humanização e modernização de presídios.

          Outra balela visível distribuída como favas contadas pelos candidatos em geral foi dizer que no primeiro dia de mandato mandaria esse ou aquele projeto para votação no Congresso, dizendo isso como se nessa ação primária tudo estaria resolvido. Para o bom entendedor de como funciona o tramite político e as negociações que envolvem o poder, isso na prática nada significa, sendo só o primeiro passo de uma longa estrada que pode levar a lugar algum.  

          O Congresso iniciará o novo ano também com algumas reformulações advindas do processo eleitoral. Seja lá quem for o eleito para assumir o Executivo Federal, este terá que iniciar uma ampla negociação para conseguir uma maioria que lhe dê condições de governabilidade. Essas negociações costumam demorar muito, quase nunca se concretizam plenamente no primeiro ano do mandato. Ou seja, salvo a Dilma que já tem uma base constituída e mesmo assim poderá sofrer algumas mudanças decorrentes do processo eleitoral, nenhum dos demais terá condições de implementar qualquer mudança significativa imediata. Quem afirma isso com status de fatos, mente e engana o eleitor desconhecedor da realidade.

          Novamente destaque positivo para a coerência ideológica e representativa da Luciana Genro, e a persistência verde do Eduardo Jorge.

          Outra vez o destaque negativo ficou por conta do pobre Levy Fidelix, que persiste no preconceito, na indução ao ódio e na pequenice moral das suas ideias, perpendiculares ao que sua estatura física já nos revela. Foi seguido de perto na boçalidade também pelo despreparado pastor Everaldo, que como agente político, sua capacidade de transformação do meio é digna de pena. Coitado do pobre ser obrigado a sentar-se numa cadeira de igreja e ouvir alienado as pregações de um ser absolutamente despreparado para conviver com a diversidade da vida. Esperamos ao menos que lá no altar da sua igreja ele seja invadido pela Inspiração Divina que em momento algum ungiu sua presença no púlpito dos debates. O homem de deus (dele) se mostrou tão medíocre como as ideias que prega.

          Quem ainda estava em dúvida, permanece nela, pois o debate nada contribuiu para o esclarecimento do eleitor.

          Se a bala de prata da Globo era este debate, pelo que vimos foi mais um “cacete de prata”, pois foi tão somente a homologação legal do espaço disponibilizado aos demais candidatos para descerem o cacete na Dilma, o que todos fizeram sem dar folga.

 

          Ela já é acostumada com isso e, mesmo com aspecto bastante cansado e com respostas lentas, diferente dos outros debates em que ela estava muito afiada e altiva, até que se saiu muito bem!!!



Escrito por LAMPARINA às 02h53
[] [envie esta mensagem
] []





HUMOR CAIPIRA DA TERRA



Escrito por LAMPARINA às 00h44
[] [envie esta mensagem
] []





UM NOVO TEMPO

 

 

 

          Estamos nos aproximando da reta final de mais uma campanha eleitoral.

          Gostaria de pedir para que as pessoas de bom caráter e bem intencionadas fizessem uma reflexão dos acontecimentos últimos em nossa cidade, para que assim seja possível fazer real juízo da importância desta eleição e desse momento político para nossa comunidade.

          Passamos por tempos difíceis desde os acontecimentos vergonhosos decorrentes da Operação Fratelli, onde tomamos conhecimento do envolvimento de lideranças políticas e empresariais da cidade com a chamada MÁFIA DO ASFALTO. Além da vergonha que nos coube a todos por ficarmos conhecidos nacionalmente como a Capital do Crime Organizado, é preciso que a população de bem tenha o despertar para uma nova mentalidade política, onde possamos nos unir para UM NOVO TEMPO.

          A política tem a capacidade de mobilização das pessoas por um ideal comum e este ideal deve sempre vir em prol do interesse coletivo, não de pequenos grupos de apoio e financiadores, mas de um grupo que tenha capacidade de mobilizar e envolver todos por um único ideal, o bem comum da sociedade.

          Quando assistimos campanhas milionárias mobilizando muitos milhões e nenhum interesse em envolver a sociedade neste projeto de bem estar coletivo, percebemos que se trata tão somente da manutenção de um projeto pessoal para manter o poder supremo em questão.

          Quando percebemos que o candidato é do seio da nossa convivência, pessoa séria, de honestidade a toda prova e que tem trabalhos desenvolvidos ao longo de uma trajetória dignificante de vida pública, não tem como não endossar essa causa e não se oferecer na arregimentação do poder multiplicador dessa união de forças pelo bem da nossa coletividade.

          Temos outros candidatos concorrendo ao mesmo posto aqui na cidade e até alguns de fora, que também são dignos dos nossos votos, mas gostaria de pedir aos meus 7 ou 8 leitores que fizessem uma análise reflexiva sobre a vida pública e privada do candidato a deputado estadual OSVALDO CARVALHO, um político com três mandatos consecutivos na Câmara de Vereadores de Votuporanga, e o mais importante, é FICHA LIMPA, não estando no rol de políticos que se encontram atolados em processos e condenações de tribunais de contas.

          O candidato OSVALDO DE CARVALHO faz parte de uma nova geração de políticos com uma nova consciência, políticos que buscam o voto no convencimento de ideias e propostas na base do olho no olho e da apresentação daquilo que já fez como endosso do que pretende fazer.

          A política é para unir pessoas e ideais, não para cacifar e dar poder supremo para mandatários de perfis rancorosos que volvem depois o poder oriundo da política para execrar seus adversários e intimidar os que não obedecem suas ordens. Política é a arte da conciliação e não da subjugação.

          Sendo o OSVALDO CARVALHO um líder com capacidade de agregar todos esses valores, peço humildemente esta reflexão aos meus poucos leitores e amigos pessoais, para que, não só deem seu voto de confiança para o 90.900 do OSVALDO, como também façam uso do vosso poder multiplicador em seu meio nesta causa. Com toda certeza não se arrependerão, e cada voto depositado na urna em favor do OSVALDO será a fração correspondente de certeza que um justo chegará ao poder e um ímpio dele será banido.

          Pensem, reflitam, analisem a vida pública e privada deste homem e tenho total certeza que não terão como fugir dessa reflexão votando OSVALDO CARVALHO – 90.900 neste domingo!!!

 

 

PS: Segue aí o link dos candidatos com pendências judiciais em nossa região: http://www.diarioweb.com.br/novoportal/Noticias/Politica/199882,,Regiao+tem+16+candidatos+com+55+pendencias+judiciais.aspx

 



Escrito por LAMPARINA às 17h46
[] [envie esta mensagem
] []





CALABAR DOS BANDEIRANTES

 

          Com o pleito se aproximando e os manipuladores das pesquisas eleitorais (PIG, o pagador de pesquisas de 2 em 2 dias...) tendo que ir gradativamente revelando os resultados aos patamares verdadeiros de medição para que não fique tão horrível e criminoso mediante o resultado final das urnas, o debate para o governo de SP desta noite na Globo foi ao ar com ingrediente picante que fez o diferencial, à certeza de que os números do candidato Alkmin está decrescendo, conforme demonstrou a última pesquisa, trazendo o Skaf e o Padilha em proporções crescentes. Embalados por este fôlego, os dois candidatos não tiveram alternativas senão tacar-lhe pau (no picolé) até o final.

          A máquina política de contar mentiras instalada em SP é brutal e mesmo o governador sendo por diversas vezes desmentido, ele não se abala, tem confiança plena nos números e sabe que não tem condições de ganhar na capital e na região metropolitana, exatamente onde o povo está sendo mais oprimido pelas linhas de metrô que não avançam (além do escândalo do Trensalão Tucano), pela falta de investimentos no sistema de abastecimento d’ água que colocou à população dessas regiões sob racionamento e pelos índices de violência fora de controle nas grandes concentrações urbanas.  

          O Alckmin aprendeu há muito tempo com o padrinho Covas que a política de SP se ganha com os barões da mídia martelando e blindando os malfeitos dos tucanos lá na capital, e ele passeando e visitando a prefeitada demotucana companheira do interior, trazendo na bagagem à mala amiga, angariada junto aos grandes empreiteiros e magnatas dos pedágios, precinho barato para que tenham por garantia que tudo continuará como está.

          Contra este argumento da bagagem não tem Skaf nem Padilha. DEUS, o Todo Poderoso, desnudo dos poderes divinos e apenas embasado de umas mandrakices aqui e ali, coisa pouca, tipo: caminhar sobre as águas, ou fazer chover aqui ou acolá; ainda perderia para o Alkmin, pois ele até consegue fazer cara de sério e mentir descaradamente, colocando água em torneiras aonde ela não chega.

          Enganar caipira é bem mais fácil e mais barato. Vejam aqui nosso exemplo, onde dois repartem a mala e o resto da população continua votando num governo que não comparece na solução dos nossos problemas.

 

          E, o que nos resta é continuar ladrando!!! 



Escrito por LAMPARINA às 03h18
[] [envie esta mensagem
] []





CHURRASCO COM PERPETUAÇÃO...

 

          Fandango, trago e poder... É isso que os nobres gostam...

          A noite legislativa tinha tudo para ser uma sessão curativa, com os nobres edis exercitando a pajelança sobre as próprias feridas e mirando o foco para todas as questões deixadas para trás nesses dias de diz que me diz do famigerado projeto da reeleição. E foi, mas também teve edil que estava saudoso de uma boa canelada, e feito zagueirão sanguinário lá da Varação nos meus tempos de várzea, mirou da correntinha pra baixo e veio com tudo.

          O nobre edil Meidão chegou primeiro num daqueles carrinhos que o Arnaldo gosta de dizer que é uso excessivo de força, e foi logo atropelando tudo que via pela frente. Meio de voz ainda embargada pelos graves problemas de saúde que sofreu recentemente (saiba o nobre edil, que eu não sou rezador fervoroso, mas Vossa Excelência esteve presente em minhas orações pelo seu pronto restabelecimento, pois esta Casa é nada sem Vossa Excelência), o Meidão salivou pelos cantos da boca ao novamente recriminar a tentativa do presidente da Mesa em se perpetuar no posto, dizendo que os funcionários estão coagidos pelo ato, inclusive citando um que até andou bancando churrascada (aquela em que foram divididas as despesas com o M. P, que doou um carneirinho... Pequeno, raquítico, mas que mesmo assim teve destino trágico, servindo de repasto aos convidados presentes num intento sem êxito, pelo menos até agora. Se o pelego ainda estiver sobrando, por favor, lembrem-se do lampa, pois eu domino a milenar técnica do curtimento no leite e fica muito chique), para quem sabe poder permanecer no cargo atual de indicação do atual presidente. Depois o nobre edil Meidão seguiu com um desabafo sobre um projeto seu que teria sido boicotado pela presidência e alguns nobres colegas de edilidade, aquele projeto que pretendia garantir vagas para idosos na Zona Azul. O nobre edil arrematou sua fala dizendo que não caiu de paraquedas na Casa, tem 10 eleições consecutivas e que, se preciso fosse, entraria na Justiça contra a tentativa de perpetuação da Mesa. Foi ainda mais além ao despedir-se da tribuna bradando que morreria em defesa do que considera ser correto na defesa do seu povo.

          O nobre Edil Osmair veio depois e entre outras coisas, pediu providências sobre uma questão que está ocorrendo em loteamentos mais novos da cidade, citando especificamente uma área ali atrás do Assary, na Pascoalino Pedrazoli, onde os proprietários que estão construindo seus imóveis têm tido dificuldades na construção devido à falta de ligação de água por parte dos serviços prestados pela SAEV – Ambiental. Reclamou muito dizendo não entender o motivo desta demora, mesmo o contribuinte já tendo obedecido todo o trâmite burocrático e pagado por todas as taxas e serviços correspondentes.

          Depois foi a vez do nobre André da TURA, que retomou seu bom trabalho fiscalizador (aquele que lhe rendeu o prêmio mais desejado pela edilidade dos ventos em 2013, à consagração anual do TROFÉU FERRADURA DE OURO) mostrando fotos de um playground de madeira colocado numa praça em construção, que ainda nem foi inaugurada, mas o referido brinquedo já demonstra irregularidades perigosas em sua estrutura. Mostrou também fotos de irregularidades graves no asfalto do loteamento Quinta do Moro (aquele loteamento de propriedade “declarada” como sendo do irmão do nosso vice-prefeito, Waldecy Bortoloti), onde nos informou que já entrou em contato com o secretário Petenucci, com este sinalizando que não assinará o recebimento do empreendimento imobiliário sem a devida reparação. O colega Meidão pediu aparte na fala para instruir o novato edil da necessidade de uma juntada dessas irregularidades todas e o envio póstumo ao Ministério Público (quá, quá, quá.). (pela reencontrada postura do nobre edil, cantará alegre amanhã toda torcida da TURA – O Campeão Voltou!!! Campeão da vigilância legislativa, é claro)

          O nobre edil Douglas assumiu o púlpito e nos deu contas das suas providências para saber sobre anunciadas irregularidades encontradas em imóveis dos projetos habitacionais. Informou-nos também que já existem boatos de pessoas tentando vender imóveis no Boa Vista I e II, aconselhando aos possíveis compradores para que saibam dos riscos de perderem os valores em questão, assim como o vendedor, de perder algumas prerrogativas de mutuário de projeto habitacional subsidiado.

          O nobre Edilson do Santa Cruz veio depois e entre outras coisas, falou da visita que fez a Capital e, das maravilhas da implantação do projeto de ciclovias  pelo prefeito Fernando Haddad do PT, sugerindo que o prefeito Marão Filho tome conhecimento e que implante esse mecanismo de fluxo de bicicletas ao menos em novas avenidas da cidade.

          Veio então o nobre edil Eliezer Casali, que também reclamou da situação caótica das ruas da cidade, que estão parecendo queijo suíço – disse ele. Depois passou receita de que já conversou com o senhor prefeito e ele lhe esclareceu que já está tudo acertado para o início do primeiro trecho licitado, estando os demais 3 em adiantado estágio no trâmite burocrático (bons tempos em que tínhamos uma empreiteira municipal, hein??? Era só passar o Squematti-sinal e o batalhão de engenharia tacava-lhe pau imediatamente... Depois acertavam-se os detalhes burocráticos como licitação, preço e etc... Foi tanto pau que um dia a Turma acordou cercada de homens de preto e todos nós cercados da certeza de que tomamos no... Asfalto!!!). Depois o nobre edil defendeu-se da acusação desferida pelo nobre colega Meidão, do suposto boicote ao seu projeto. Da outra acusação o Eliezer preferiu remeter o tema ao esquecimento, dizendo não valer a pena.

          O nobre Pedro Beneduzzi foi pra luta e reclamou muito, além de pedir explicações da Secretaria de Trânsito sobre um semáforo que está sendo colocado na esquina das avenidas W. Fóz com Nove de Julho, onde segundo ele teria apurado preliminarmente com moradores da área, só seria colocado num dos lados da passagem de fluxo. (como não entendi como isso seria possível, estamos também no aguardo dos esclarecimentos)

          O nobre Jura veio depois e jogou água benta no clima de guerra entre os nobres colegas Eliezer e Meidão, defendendo uma nova apresentação do projeto e um estudo mais aprofundado por parte dos nobres pares sobre a viabilidade deste.  Falou também do protesto que será organizado pelas educadoras da rede municipal, com seu total apoio. Depois o Jura partiu para o consumo do seu tempo na defesa do governo do seu partido, o PT e nas conquistas que as transformações possibilitadas a partir do governo Lula proporcionaram para Votuporanga, com uma enxurrada de recursos públicos que banharam nosso caixa municipal como nunca dantes visto.

          O nobre Silvão, como sempre, fez a defesa infante da administração diante de todos os pontos críticos apresentados anteriormente pelos nobres colegas queixosos. Num segundo ato, também como sempre, apresentou suas considerações pessoais sobre o governo do PT, anteriormente idolatrado pelo colega rival Jura. (Só faltou o Silvão citar o termo bolivariano, adorado pelos reaças e afins, para eu enxergar nele uma lustrosa careca e o vasto bigode preto pintado de Wellaton do Levy Fidelix)

          O nobre Osvaldo foi o último e, entre muitas críticas sobre a situação do asfalto na cidade e do descaso do governo do estado para com a estrada do 27, lembrou no púlpito que foi ele o único edil a votar contra o projeto do Executivo de aumento do IPTU em 2012, com casos que chegaram a 70% de aumento, questionando onde estão sendo aplicados esses valores no retorno do investimento público.

          Depois houve a votação de dois projetos, sendo um com teor meio que bastante anacrônico, já que cria o programa Disque Ecotudo para que a população que não possua veículos possa ter disponível o serviço de descarte do lixo e tudo aquilo que não se usa mais (aquela enxurrada de sofás velhos e afins que assistimos sendo embarcada no último Cidade Limpa...), mas terá um custo aproximado de R$ 50,00. O nobre edil Eliezer embasou a necessidade do serviço dizendo que nem todo mundo tem um utilitário para descartas corretamente estes materiais. (é verdade... Esqueceu-se de dizer também que poucos dos que não têm o tal utilitário terão os cinquentão para pagar pelo serviço prestado com o investimento público, haja vista principalmente o salário pago pela administração e seus satélites, tipo OSS, por exemplo, que paga o mínimão seco. Os cinquentão representaria quase 10% dos seus rendimentos ao longo dos intermináveis 30 dias)

          Nas considerações finais da noite, gostaria também de saldar a presença dos párocos Gilmar Margotto e Márcio Tadeu, que novamente se fizeram presentes nas galerias da Casa para apreciarem a dinâmica dos trabalhos legislativos. Desta vez não houve incidentes e nem foram excomungados por ninguém, mas sim saldados por quase todos os que se apresentaram aos trabalhos em tribuna. Observei ligeira agilidade nos trabalhos da Casa depois da vigilância mais acirrada dos pastores em cima das suas ovelhas. Sendo assim, que nossos párocos consigam sempre um tempinho para acompanharem mais de perto os trabalhos legislativos, ao bem supremo do interesse público. Convocação estendida às demais lideranças religiosas da cidade, haja vista que os últimos acontecimentos indicaram que toda Fé ainda será pouca diante do desafio que estamos enfrentando de mudar os rumos unilaterais do poder em nossa cidade.

          Conversando com um cidadão que também se faz sempre presente as sessões, este me questionou sobre a demora na finalização da obra do Centro Cultural e Turístico (conhecido também popularmente como biblioteca do brejo), que já foi amplamente alardeado pela mídia parcial em diversas matérias como esta: http://www.acidadevotuporanga.com.br/local/2012/04/fliv-2013-sera-no-centro-cultural-e-turistico-n9700 , mas está lá mais paradona do que o Rio Tietê na Capital. Resolvi então encampar a campanha, já que nenhum edil mostra-se interessado no tema – Prefeito, quando o povo terá disponível aquela maravilha arquitetônica no Centro de Lazer do Trabalhador???

 

          Tô loko para fazer um pipizinho lá!!!



Escrito por LAMPARINA às 09h53
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]